Região Norte do Brasil


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Região Norte do Brasil

É a região de maior extensão territorial (3 851 560 km²) e também a menos populosa: apenas 6,9% dos 147 milhões de brasileiros (1991). As densidades demográficas são muito baixas, com média de 2,6 habitantes por km², no estado de Roraima vivi apenas 0,94 habitantes por quilômetro quadrado, ou seja, para cada km² há menos de uma pessoa.

A região é difícil de ser efetivamente ocupada, pois a densa floresta e o clima equatorial úmido não facilitam a produção humana. Durante séculos, as únicas "estradas" foram os rios. Mesmo assim, esses rios não são navegáveis em todo o seu curso.

No passado, as atividades econômicas desenvolvidas na região eram apenas extrativas: borracha, castanha, plantas medicinais e ornamentais, aves, peixes etc. Nas últimas décadas, porém, tem-se intensificado o ritmo de ocupação, com o alargamento da fronteira agrícola, o estabelecimentos de amplos projetos agropecuários, de exploração mineral e de extração de madeira, levando à abertura de rodovias de integração. Tudo isso tem sido realizado em ritmo acelerado, sem levar em conta o equilíbrio da natureza; a agressão à fauna e à flora é constante através das queimadas, do desmatamento, da mineração intensiva, de caça e pesca predatórias. Além de tudo está ameaçada a sobrevivência do índio que sempre habitou essa região.

Situam-se na região norte os estados do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia, Tocantins, Amapá e Roraima, sendo a criação dos três últimos definida pela Constituição de 1988.


A Grande Região Norte
A ocupação humana e toda a atividade econômica da Região Norte foi condicionado pela presença do rio Amazonas e da extensa floresta amazônica.

Isolada, e contando, durante muito tempo, apenas com o transporte fluvial para as comunicações internas, a região teve no extrativismo vegetal sua principal fonte de riqueza. A agricultura encontrou sérios empecilhos a seu desenvolvimento: A pobreza do solo, após a derrubada das florestas, as grandes distâncias e insuficiência dos meios de transporte, além da escassez de, além da escassez de mercado consumidor, já que a região é pouco povoada. Em meados da década de 70, só a metade das terras cultiváveis eram de fato utilizadas . Ainda assim, quase 50% do valor da produção da Região é proveniente da agricultura.

Cultiva-se, arroz, cana, coco, cacau, tomate, batata-doce, amendoim, café, algodão, sisal, mandioca, juta e pimenta do reino. Estes três últimos produtos são os mais intensamente comercializados.

A criação de bovinos não é significativa, desenvolvendo-se a pecuária leiteira somente nas regiões de Belém e Manaus, onde há bons pastos e ausência de enchentes. A pecuária de corte concentra-se principalmente na Ilha de Marajó., que possui o maior rebanho de Búfalos do mundo. Com a política governamental de integração e povoamento da amazônia, a região tem se transformado. Na década de 70, longas estradas cortam a região, grandes empresas instalam-se na área e desenvolvem-se detalhadas pesquisas do subsolo, rico em minerais. A corrida em direção às riquezas amazônicas tem originado, porém, graves problemas, como a destruição de grandes extensões de matas, a invasão das reserva indígenas e deficientes condições de vida dos colonos.


Complexo Regional da Amazônia
Na Amazônia há 80 mil espécies de vegetais e 30 milhões de espécies animais. A região engloba a totalidade do Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Amapá e Pará, o oeste do Maranhão e o norte dos estados de Tocantins e Mato Grosso, constituindo 57% do território brasileiro. A Amazônia expande-se para outros países da América do Sul, como Guiana Francesa, Suriname, Guiana, Venezuela, Colômbia, Equador, Peru e Bolívia.

Estudos recentes, elaborados a partir da análise de imagens fornecidas por satélites e por radares, demostraram ser o relevo amazônico bem mais diversificado do que se supunha. Destaca-se uma ampla bacia sedimentar formada pelo rio Amazonas e seus afluente. Existem também depressões, baixios, planaltos e área montanhosas, onde se localizam as maiores altitudes do país. A Amazônia é habitada por cerca de 140.000 índios que vivem em reservas, como os ianomamis e os caiapós. Há também índios que não foram contatados pelo homem branco.

Boa parte dos recursos naturais e minerais da região continua inexplorada.


A Economia da Região Amazônica
A economia amazônica foi durante muito tempo voltada ao extrativismo vegetal (borracha natural, catanha-do-pará, guaraná, ervas, medicinais e aromáticas). A pecuária também era praticada em regiões cobertas por campos naturais na ilha de Marajó e em partes do Amapá.

Durante o regime militar, especialmente no governo Médici, ocorreu a dinamização da Sudam (órgão estatal responsável pelo planejamento na região), e a Amazônia integrou-se ao capitalismo nacional e internacional. Ansiosos por romper o isolamento do imenso território amazônico, os militares iniciaram a construção de grandes rodovias, como Transamazônica e a Cuiabá-Santarém, e do porto de Santarém (localizado no rio Amazonas), com o objetivo de integrara região ao resto do Brasil e ao mundo, facilitando o escoamento dos produtos destinados à exportação.


Manaus
Fundada no século XVII, Manaus viveu o seu apogeu durante o século XIX, no período conhecido como o ciclo da borracha, que durou de 1890 a 1920. Nessa época, foram construídas grandes obras, como o teatro Amazonas. Manaus foi a segunda cidade brasileira com iluminação elétrica, inaugurada em 1897.

Com a aclimatação da seringueira outras regiões do globo, o Brasil deixou de monopolizar a produção de borracha. Manaus passou a enfrentar um período de declínio. Com a criação da Zona Franca em 1967, o governo brasileiro tentou reverter essa situação.



Bibliografia:
Enciclopédia Novo Método de Ensino Fundamental e Médio
Enciclopédia Novo Conhecer Brasil (Abril cultural)
Internet




Leia também! Assuntos relevantes.

Jornalismo no Brasil
Jornalismo no Brasil, é o desenvolvimento das publicações periódicas (jornais, diários e revistas) no Brasil, do final do século XIX aos nossos dias. ...

Como anda o ensino público Brasileiro?
O ensino público brasileiro ainda é repleto de deficiências e desigualdades nas diversas regiões do país. Atualmente, o Brasil possui cerca de 20 milh...

Principais patrimônios culturais brasileiros
A Unesco – Agência das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, define patrimônio cultural como qualquer lugar que apresente fundamental ...

História da Educação Física no Brasil
A educação física é uma displina aplicada na educação brasileira para a recreação, o desenvolvimento motor e o engajamento dos estudantes no mundo esp...

Primeiros produtos exportados pelo Brasil
Ao longo da história do Brasil, o país exportou vários produtos. O primeiro produto retirado do Brasil e enviado para ser comercializado no exterior f...

Brasil Hoje
O Brasil vive uma situação de pleno desenvolvimento. As condições de vida da população apresentaram uma melhora significativa nos últimos dez anos, mu...

PIB do Brasil por estado em 2012
Em 2012, o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil teve um crescimento modesto devido à desaceleração da economia mundial. O PIB brasileiro fechou 2012 ...

Planos Econômicos do Brasil - Regime Militar
Os governos militares, que se sucederam no poder por 21 anos após a derrubada do Presidente João Goulart, realizaram reformas constitucionais visando ...

Coréia do Norte
Situado no leste da Ásia, o país tem relevo montanhoso e é uma das nações asiáticas mais ricas em recursos minerais: possui cerca de 50% da reserva mu...

Chegada da Família Real ao Brasil
A chegada da Família Real ao Brasil - 1808 Tratado de Methuen ( Panos e Vinhos ) 1808 - Chegada da Família Real ao Brasil Abertura dos portos à...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2015 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados