Doenças do tecido muscular

As principais doenças do tecido muscular incluem uma série de variações da distrofia muscular, uma doença genética que prejudica as fibras musculares e causa fraqueza, problemas de mobilidade e falta de coordenação motora.

Existem cerca de nove formas graves desta doença, sendo que muitas são crônicas e não têm cura. Entre as doenças do tecido muscular, podemos citar a miastenia gravis, uma doença auto-imune que provoca fraqueza muscular e fadiga.

Outro problema bastante conhecido é a esclerose lateral amiotrófica (ELA), uma doença neurodegenerativa progressiva, que pode levar a perda de todos os movimentos do corpo por meio de um ataque às células nervosas do cérebro. Os pacientes com ELA perdem o controle dos movimentos musculares.

Outra doença do tecido muscular é a fibromialgia, um problema crônico e que resulta em dores musculares generalizadas, rigidez dos músculos e perda da sensibilidade. De uma forma geral, todas as distrofias musculares têm origem genética e afetam o tecido muscular e a musculatura esquelética.

O resultado destas doenças são limitações locomotoras progressivas, podendo levar, até mesmo, ao comprometimento da musculatura respiratória e cardíaca. A medicina já relatou mais de 30 formas diferentes de Distrofias Musculares Progressivas (DMP), sendo algumas benignas e outras muito graves.

Estas doenças atingem homens e mulheres em variadas faixas etárias. Graças aos avanços da genética e da biologia molecular, hoje é mais fácil diagnosticar este tipo de problema.

Apenas no Brasil, mais de 200.000 pessoas apresentam algum tipo de doença do tecido muscular. Uma das formas mais comuns da doença é a distrofia de Duchenne, causada por uma herança genética ligada ao cromossomo X e que causa distrofia muscular apenas em meninos.

Leia também! Assuntos relevantes