Grécia - Terra dos Deuses

Grécia Antiga

O relevo fragmentário opunha-se a uma fácil circulação e provocava a multiplicidade de "Países" naturais. Frequentemente minúsculos, reforçando o particularismo das cidades helênicas. Os recursos insuficientes do solo e do subsolo levaram os gregos a desenvolver uma atividade intensa marítima; as ilhas do mar Egeu tornaram-se escalas da rota da Trácia, do ponto Euxino e da Ásia Menor; as do mar Jônio foram escalas para a Itália e a Sicília. A civilização helênica estendia-se apenas sobre metade do território da Grécia moderna; a Tessália, o Épiro e a Macedônia foram integradas progressivamente, em compensação, todas as terras ganhas pelas migrações e pelos movimentos de colonização ( Ásia Menor,Trácia, e Magna - Grécia) sempre foram consideradas como prolongamentos da própria Grécia.

Os tempos Pré-helenicos

Na época neolítica a Grécia passou por várias ondas de povoamento; na Tessália descobriam-se em sesklo e dhimini, importantes vestígios de comunidades agrícolas e pastoris. De 2600 1900 a.C., o período dito heládico antigo corresponde ao bronze antigo, o conjunto do território grego povoou-se pouco a pouco, e as relações marítimas com as ilhas do mar Egeu, estabelecidas há muito, intensificaram-se.

Leia também:
Civilização Grega - O Período Helenístico - 1000 a.C. à 1 a.C.

A civilização Micênica

No inicio do segundo milênio, o mundo Egeu foi dominado pela Creta minoama. De 1900 a 1600 a.C. ( bronze médio), chegaram a Grécia os primeiros Helenos, vindos da Europa central e do Bálcãs. Desenvolveram uma civilização vigorosa, dita micênica, devido a particular importância do sítio de Micenas. Em meados do Séc. XV a.C. , os micênicos e constituíram, na Grécia, poderosos reinos ( no peloponeso, Micênas, Tirinto, Pilos; na Beócia, Gla). De 1200 a 900 a.C. , essa civilização entrou em declínio e a invasão de novos gregos, os Dórios, constituiu um dos fatores dessa evolução.

Leia também! Assuntos relevantes