Quando duas letras estão em sequência e formam um único som chamamos isso de dígrafo. Uma das principais características do dígrafo é justamente essa, duas letras apresentarem apenas um fonema, já que neste encontro cada letra perde sua unidade sonora.

Letras não podem ser confundidas com vogais ou consoantes, que são apenas a representação gráfica do som a qual fazem referência.

O dígrafo é muito comum na Língua Portuguesa. Veja algumas palavras com dígrafo: alho, carro, máquina, pêssego, ninho e chaveiro.

Perceba que temos apenas um som nessas duas letras, usadas em uma das palavras acima e que são dígrafos: rr tem o som de apenas 1 r. O mesmo acontece com ch – que tem som de x.


Quais são os tipos de dígrafo?

O dígrafo pode ser vocálico ou consonantal.

O dígrafo consonantal une duas letras que possuem apenas 1 som consonantal. São eles: xc, sc, ss, ch, xs, sç, gu, qu, rr, nh, lh.


Veja algumas palavras com os exemplos acima:

  • Chave;
  • Telha;
  • Passarinho;
  • Carreta;
  • Vinheta;
  • Queijo;
  • Cresça;
  • Crescente;
  • Piscina;
  • Exceção;
  • Exsurgir.

O dígrafo vocálico acontece quando duas letras unidas compõem apenas um som vocálico. Neste caso, depois das vogais, aparecem as consoantes N e M, então o som se torna nasal. Veja estes dígrafos: um, un, am, na, em, em, im, in, om, on.


Então, temos dígrafo vocálico nas seguintes palavras:

  • Ambição;
  • Lembrança;
  • Ombro;
  • Cumprimento;
  • Cachimbo;
  • Pente;
  • Onça;
  • Mundo.


Nem sempre palavras com gu e qu são dígrafos, pois isso depende da pronúncia. Veja os exemplos:

Queijo – dígrafo;

Quantos – O U é pronunciado, então não existe dígrafo;

Gueto – dígrafo;

Linguiça – O U é pronunciado, então não existe dígrafo.

É importante saber reconhecer um dígrafo, pois esta matéria faz parte dos ensinamentos básicos da Língua Portuguesa. Este recurso é apresentado aos alunos no ensino primário e fundamental, para que eles se familiarizem com as formações.


Veja também:

Encontros vocálicos

Ditongo, Tritongo e Hiato