Tratado de Utrecht

Tratado de Utrecht

Por

Utrecht (Tratado de).
Com o nome desta cidade dos Países Baixos se designa o tratado, ou melhor o conjunto de atos diplomáticos, que puseram termo À guerra da Sucessão de Espanha.

O tratado de Utrecht foi assinado a 11 de Abril de 1713, e no ano seguinte os de Rastadt e de Baden, que o completam.

Estes tratados foram impostos a todos pelo cansaço geral dos beligerantes.

Não há dúvida que o tratado de Utrecht marca uma divisão bem distinta na história.

Reunido em 1709 o congresso de Utrecht, ao qual assistiu como plenipotenciário de Portugal o IV conde de Tarouca, D. João Gomes da Silva, seguiram‑se lutas e complicadas negociações, sendo por fim assinada a paz geral no referido ano de 1713.

A 7 de Novembro de 1712 tinha sido assinada a suspensão de armas entre Portugal, França e Espanha.

O tratado de paz definitivo foi passado pelos nossos embaixadores, conde de Tarouca e D. Luís da Cunha, ratificado por Luiz XIV a 13 de Abril de 1713 e por D. João V a 9 de Maio.

Os nossos historiadores dedicaram a estes acontecimentos, e aos que se produziram depois, largas páginas.


Bibliografia:
A Historia de Portugal, por Pinheiro Chagas; a de Oliveira Martins e de Schaeffer; Quadro elementar, do visconde de Santarém; a Historia Genealogica, de D. Antonio Caetano de Sousa, etc. No cartorio dos Srs. condes de Tarouca, encontram‑se numerosos e valiosos documentos das Negociações do ilustre embaixador, seu antepassado. Quanto ás medalhas comemorativas da paz de Utrecht, mandadas cunhar pelo conde da Ribeira, veja‑se a Memoria, de Lopes Fernandes, e a Noticia da entrada publica que fez em Paris, a 18 de Agosto de 1715 o mesmo conde, por Ignacio Barbosa Machado, Lisboa; 1716. Também se publicou em Lisboa uma edição oficial do Tratado.


Fonte:
http://www.arqnet.pt/dicionario/utrecht.html


Fonte Imagem:
Alegoria da Paz de Utrecht.
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/e7/Allegory_of_the_Peace_of_1714.jpg

Leia também! Assuntos relevantes