Tratado de Sèvres

Os tratados de paz

No ano de 1917 teve início as tentativas de paz ao redor do mundo. Houveram os 14 pontos do presidente Wilson, a Conferência de Paris, a imposição do Tratado de Versalhes à Alemanha, entre diversos outros que objetivavam tentar estabelecer a paz. Foi em uma destas tentativas que, no ano de 1920, é feito o Tratado de Sèvres.


O Tratado de Sèvres

Assinado entre os Aliados e o Império Otomano no dia 10 de agosto de 1920, o Tratado de Sèvres foi um acordo de paz que ocorreu em um contexto histórico pós Primeira Guerra Mundial. Suas cláusulas estipulavam que os estreitos de Bósforo e dos Dardanelos e o Mar de Mármara, seriam zonas neutras desmilitarizadas, ou seja, internacionalizadas, de forma que sua travessia seria sempre permitida em quaisquer circunstâncias, fossem navios estrangeiros, mercantes ou até mesmo de guerra. A Turquia ficou consagrada com a perda da Palestina, Síria, Líbano e Mesopotâmia, assim como os territórios turcos na Europa, quase em sua totalidade, assim como a região da Esmirna.


Leitura recomendada:
Os Tratados de Paz da Primeira Guerra Mundial


Esse tratado colocou fim no Império Otomano e mostrou-se duro demais, e impraticável. Isso despertou a ação dos nacionalistas turcos que, negando-se a aceita-lo, começaram a defender a independência da Turquia. Ataturk (Pai dos Turcos), surgiu como um mito nacional que mobilizou o nacionalismo turco e reorganizou parte do exército otomano, até então extinto. Foi vitorioso na luta pela independência, fundando no ano de 1922 a República da Turquia, sendo o seu primeiro presidente. O nome foi alterado de Constantinopla para Istambul, e a capital foi transferida para Ancara, localizada ao centro do país.

Leia também! Assuntos relevantes