Transição Espanhola

Transição Espanhola

A Transição espanhola, foi o período compreendido entre o fim da ditadura de Francisco Franco e a chegada ao poder do Partido Operário Espanhol (PSOE).

O INÍCIO
Em novembro de 1975, Juan Carlos I iniciava seu reinado, estabelecendo contatos com diversos políticos espanhóis. Adolfo Suárez, nomeado pelo rei presidente do Governo, elaborou uma lei de reforma política que permitia a liberdade sindical e a legalização de todos os partidos políticos, incluindo o Partido Comunista da Espanha (PCE).


A CONSTITUIÇÃO DE 1978
Em outubro de 1977, foram assinados os chamados Pactos da Moncloa, acordo entre as principais forças políticas, que começaram a trabalhar na redação de uma Constituição baseada no respeito à economia de mercado e ao planejamento estatal, que permitiu a criação de um estado estruturado em comunidades autônomas. Em 6 de dezembro de 1978, a Constituição foi aprovada.


O 23 DE FEVEREIRO E A VITÓRIA SOCIALISTA
Nas eleições de março de 1979, houve o triunfo da União de Centro Democrático (UCD), seguido pela vitória da esquerda nas eleições municipais de abril, quando conquistou as principais prefeituras. Em outubro, foram aprovados os estatutos da autonomia da Catalunha e do País Basco, mas os confrontos no seio da UCD, juntamente com a situação econômica do país, provocaram a demissão do presidente Suárez, em janeiro de 1981. Em 23 de fevereiro, durante a posse de Leopoldo Calvo Sotelo, ocorreu um fracassado golpe de estado no Congresso de Deputados. O rei Juan Carlos assumiu imediatamente o comando das forças armadas e, no dia seguinte, o exército estava sob controle. A vitória do PSOE, nas eleições de outubro de 1982, demonstrou a verdadeira transformação política ocorrida na Espanha.


Fonte:
http://www.slimsite.hpg.ig.com.br/tranesp.html
Imagem: http://sitemaker.umich.edu/fascistpersonalitycult/files/franco4.jpg

Leia também! Assuntos relevantes