Texto narrativo sobre drogas

Um jovem chamado Carlos Augusto teve seu primeiro contato com as drogas aos 15 anos de idade. Foi numa festa da escola que ele conheceu a maconha, uma droga natural, diziam os colegas.

Carlos acreditou que experimentando a maconha não estaria se expondo a nenhum risco de vício, mas ele estava enganado. Com o passar do tempo, a dependência pela droga se tornou tão grande que Carlos não conseguia mais se concentrar nos estudos e acabou largando o colégio.

A vontade de esquecer os problemas fez com que Carlos tentasse outras drogas mais fortes, como cocaína e crack. Em pouco tempo, ele se viu totalmente entregue à dependência química.

Os pais de Carlos não sabiam como agir e demoraram muito para perceber que algo estava errado. Num certo dia de verão, eles encontraram o filho caído numa rua do centro de São Paulo. O jovem estava sem documentos e tinha machucados pelo corpo. Foi então que os pais de Carlos entenderam que o filho estava envolvido com drogas e buscaram um tratamento.

Por sorte, Carlos teve a chance de se tratar e se livrar da depedência química. Ele passou 4 meses internado numa clínica de recuperação.

Depois que saiu da unidade, Carlos passou a frequentar semanalmente o grupo dos Narcóticos Anônimos, onde fazia terapia em grupo e aprendeu a viver a teoria do “Só Por Hoje”.

Atualmente, Carlos é voluntário de um grupo que tenta resgatar outros jovens dependentes. Ele aprendeu que as drogas representam um caminho de ilusão e sofrimento, e hoje tenta espalhar essa mensagem para outras pessoas e famílias que enfrentam o problema.

Carlos se tornou um exemplo de superação. Nunca é tarde para recomeçar! Drogas, nunca mais!

Leia também! Assuntos relevantes