Sinéquia Vaginal (Fimose Feminina)

Também conhecida pelo nome de Coalescência, fusão, aderência ou fusão dos pequenos lábios, a sinéquia vaginal é comparada à fimose, porém em mulheres. Trata-se de uma má formação, caso em que os pequenos lábios, que são mais internos, ficam grudados em uma parte, ou inteiramente, havendo somente um orifício para a passagem do xixi. O problema, apesar de pouco conhecido, é relativamente comum, atingindo em torno de 5% das meninas, ocorrendo até os 10 anos de idade. Pode ocorrer, apesar de ser bastante raro, em mulheres adultas, sendo relacionada à deficiência do hormônio estrogênio, problema mais comum na infância.

Ainda não se tem conhecimento preciso sobre as causas do problema, mas sabe-se de fatores que podem colaborar, como o fato de que os pequenos lábios, em crianças, são mais internos do que nas mulheres adultas, de forma que uma pancada, ou até mesmo uma roupa mais apertada e higiene incorreta podem provocar essa doença, fazendo com que os pequenos lábios se juntem.


Como identificar a sinéquia vaginal?

Por não se tratar de um problema que causa dores ou dificuldade para urinar, além de ser pouco visível, acaba sendo difícil notar e identificar o problema, por isso é bastante importante atentar às aparições de irritações ou vermelhidão na região. Nas consultas de rotina os médicos podem identificar o problema, porém se houver irritação ou vermelhidão é indicado procurar um médico para identificar a causa.


Como é feito o tratamento?

A maioria dos médicos, em um primeiro momento, tenta tratar com medicamentos e pomadas a base de estrogênio, além de uma massagem para ver se há um descolamento sem procedimentos mais radicais. Caso isso permaneça ainda com o tratamento, já que este não pode ser feito por muito tempo para não causar sintomas de puberdade precoce, os médicos passam para o procedimento microcirúrgico com anestesia local, realizando um corte pequeno para realizar a separação. Apesar de ser um procedimento simples, quase indolor e de fácil cicatrização, os médicos evitam a cirurgia.


É importante realizar o tratamento e fica atento aos sinais, pois caso haja uma demora para perceber que há presença da sinéquia vaginal, poderá ocorrer com mais facilidade uma série de outras infecções, pois fica acumulado líquido na região e a umidade promove o surgimento de fungos, bactérias, entre outros agentes nocivos.

Ainda que seja realizado o tratamento, a sinéquia vaginal pode vir a aparecer novamente, principalmente enquanto a menina não tiver a menarca. A recomendação para garotas que passaram pelo problema é cuidar bastante da higiene e evitar roupas apertadas e feitas com tecido sintético.

Leia também! Assuntos relevantes