Seiscentismo

O Seiscentismo, também conhecido pelo nome de Barroco, foi uma escola literária criada e desenvolvida durante o século XVII. O incentivo ao resgate de valores e princípios que até então perderam destaque na época do Renascimento proporcionou uma abertura maior a novas manifestações literárias.

Aqui no Brasil o seiscentismo surgiu na época do Brasil Colônia e não só foi afetado na arte literária, mas também na música, arquitetura e pintura. Com grande força vindo das grandes metrópoles europeias, o seiscentismo logo ganhou força aqui no país e se tornou um marco no desenvolvimento da arte no território nacional.


O início do Seiscentismo

Após a realização do Concílio de Trento muitas coisas foram reformuladas ou até refeitas por conta das mudanças sofridas ao Catolicismo. Devido à Reforma Protestante o regime autoritário da Igreja Católica voltou a predominar na área europeia e isso ocasionou uma divisão marcante entre católicos e protestantes.

Esse momento de repressão e aprisionamento de manifestações contrárias aos princípios do Catolicismo motivou organizações a exercerem um poder ainda maior sobre a população. O Tribunal da Inquisição, por exemplo, julgava e condenava indivíduos que defendiam a liberdade de pensamento como crime de heresia.

Foi aí que escolas e universidades se uniram a ponto de proporcionar uma liberdade de expressão nas artes desenvolvidas. Um estilo único de arte tentava trazer a retidão e a santidade que a Reforma Protestante clamava, colocando o homem como ponto consciente de sua grandeza, mas angustiado pelos seus erros e paixões que o levavam a uma vida “impura”. Essa reviravolta de pensamentos e confluência de dimensões, tanto carnais como espirituais, ficou conhecida como Seiscentismo ou Barroco, fazendo um verdadeiro jogo de conceitos e ideias.


Características principais

O Seiscentismo possui um conflito de pensamentos expressos nas suas formas artísticas. Como base principal, o seiscentismo visa expor essa oscilação que o homem sofre do céu ao inferno e algumas características acompanham essa vertente:

  • Misticismo;
  • Referência à religiosidade;
  • Arrependimento;
  • Erotismo;
  • A morte como uma representação efêmera de todas as coisas;
  • A instabilidade da vida e fuga da realidade;
  • Tragédias e acontecimentos fortes.

Todas essas características eram regidas por duas perguntas que eram base para qualquer obra do seiscentismo: Como é? O que é?
A resposta para essas duas perguntas era feita a partir aspectos sensoriais tanto emocionais como afetivos e eróticos, até o jogo da intelectualidade com base em antíteses e jogos de palavras.


O Seiscentismo na prática

Dois países ganharam destaque com o uso do seiscentismo: Portugal e Brasil. Em Portugal a maior referência desse período é o Padre Antônio Vieira, que escrevia seus textos abordando grande parte das características do Seiscentismo. A morte de Dom Sebastião e de Camões influenciou na criação de obras literárias focando a morte como fuga dos problemas diários e a relação da vida eterna e espiritualidade com esses fatos.

Já no Brasil, autores como Bento Teixeira e Manuel Botelho de Oliveira foram alguns dos principais artistas barrocos. Obras como a famosa Prosopopeia e Música do Parnaso são referências dessa época até hoje.

Leia também! Assuntos relevantes