Saiba mais: Hipônimos e Hiperônimos, Holónimos e Merónimos

Como já é de nosso conhecimento, a língua portuguesa é uma das mais ricas e mais difíceis de serem compreendidas, inclusive pelos próprios brasileiros. Para que possamos compreender um pouco melhor toda a nossa língua, podemos contar com a ajuda da semântica. A semântica, uma palavra que é derivada do grego, é um estudo da linguística que se refere ao significado, interpretação e sentido das palavras e expressões pronunciadas diariamente por todos nós. Neste estudo, podemos incluir as variações linguísticas que ocorrem em tempo e espaços geográficos, como por exemplo.

O estudo dos significados feito pela semântica pode ser dividido em:


HIPÔNIMOS:

Proveniente do grego hyponymon (hypo = debaixo, inferior/ onymon = nome), são os grupos de palavras que possuem um significado mais específico, fechado. Este grupo possui significados mais específicos acerca das palavras que pronunciamos. Sempre os hipônimos pertencem a um grupo maior de classes, como por exemplo:
- Mosquito é o hipônimo de inseto
- Cenoura é o hipônimo de legume
- Sandália é o hipônimo de calçado
- Gripe é o hipônimo de doença


HIPERÔNIMOS:

São grupos de palavras que possuem significados genéricos mais amplos e abrangentes que os hipônimos. Esta palavra que vem do grego hyperonymon (hyper = acima, sobre/ onymon = nome), significam os grupos que possuem palavras de origens comuns, conforme exemplos abaixo:
- Inseto é o hiperônimo de mosquitos
- Legume é o hiperônimo de cenoura
- Calçado é o hiperônimo de sandália
- Doença é o hiperônimo de gripe


Para que possamos reconhecer estes efeitos da semântica de maneira prática, devemos analisar cada palavra em particular: quando se inicia com HIPER, se refere à excesso sempre e quando se iniciar com HIPO se relaciona a escassez. Desta forma, quando houverem dúvidas referentes a utilização destes termos, devemos visualizar sua composição gramatical.

Abaixo, podemos visualizar um exemplo de como os hipônimos e hiperônimos trabalham juntos em uma mesma frase e que utilizamos estas regras mais vezes que imaginamos:
A cenoura, a batata e a beterraba foram cultivadas pelo agricultor e, na hora certa, os legumes serão colhidos para distribuição.


HOLÔNIMOS:

Do grego hólos (completo, total, inteiro) e onímia (nomes), as palavras holônimas possuem relação semântica entre as palavras que representam o todo, compondo uma hierarquia semântica entre elas.


MERÔNIMOS:

Do grego meros (parte) e onímia (nomes), as palavras merônimas fazem uma relação semântica entre a parte do todo, em que uma é constituinte da outra que designa o todo.

Para que possamos exemplificar a aplicação destas palavras em um contexto, devemos dividir as palavras em cada relação semântica distinta de maneira que se complementem entre si.


Tabela HOLÔNIMOS e MERÔNIMOS


No que tange os estudos relacionados a semântica, também podemos incluir algumas atribuições a conceitos gramaticais, como os expostos abaixo:


SINONÍMIA:

São palavras diferenciadas que possuem significados iguais ou semelhantes (equivalência semântica), os denominados sinônimos. Estes podem ser parciais ou totais.
Ex: engraçado - cômico, triste – infeliz, bondade – caridade, calvo – careca.


ANTONÍMIA:

São palavras que representam oposições aos seus respectivos significados, os denominados antônimos. Estas podem ser contraditórias, contrárias e conversa.
Ex: criança – idoso, frio – calor, certo – errado, sair – entrar, feliz – triste.


PARONÍMIA:

Também conhecidas como parônimas, estas palavras possuem a grafia e a pronuncia praticamente semelhantes, porém com significados bem diferentes umas das outras.
Ex: emigração – emigração, cumprido – comprido, previdência – providencia, cavaleiro – cavalheiro.


POLISSEMIA:

São caracterizadas pelas palavras que podem apresentar diversos significados, variando de acordo com o contexto em que a mesma é encaixada.
Ex: Eu lavo as minhas mãos (no sentido de livrar-se)
Filho, lave suas mãos (no sentido de se higienizar).


CONOTAÇÃO:

A conotação é utilizada quando uma palavra com um sentido pré-definido acaba ganhando outro sentido aplicado em uma frase em específico, oferecendo um sentido simbólico para o contexto gramatical e dando ênfase ao objetivo final da frase.
Ex: Eu vou morrer de saudade.


DENOTAÇÃO:

A denotação é utilizada sempre que a palavra quer representar realmente o que ela é, sem nenhum tipo de conotação. É associado ao seu primeiro significado, em geral, e no sentido mais literal da palavra.
Ex: Já paguei a compra do mercado.

Leia também! Assuntos relevantes