Rubéola

Apresenta este nome pelo aspecto avermelhado ou rubro do paciente. A rubéola é uma doença aguda, benigna, contagiosa, de crianças e adultos jovens. É conhecida como "sarampo alemão" ou sarampo de três dias. É uma das poucas infecções virais que está associada à gênese de anormalidade fetais.

Contágio
É direto, provavelmente das vias respiratórias ou da mãe para o feto através da circulação comum. Do mesmo modo que no sarampo, o doente deve ser isolado, pois é infectante durante uns 10 dias depois do aparecimento da erupção.

Sintomas e Sinais
O período de incubação é de 14 a 21 dias, após o que surgem sintomas variáveis em ocorrência e gravidade: cafaléia, mal-estar, mialgia, febre alta de até 38,5°C e, mais raramente, tosse, faringite e coriza. Aparecem, 24 ou 48 horas após o surgimento desses sintomas, os exantemas no rosto, atrás das orelhas e no couro cabeludo, disseminando-se depois para todo o corpo. No 3º dia, ocorre a descamação dos exantemas e conseqüentemente melhora do quadro. As manchas de Koplik não aparecem na rubéola.

Complicações na gravidez
Existe ainda a chamada rubéola congênita, em que a mãe, sintomática ou não, transmite o vírus pela circulação ao feto, provocando malformações congênitas com alterações cardíacas e oculares principalmente e, freqüentemente, leva a partos de natimortos

Tratamento e Prevenção
O tratamento consiste em repouso e diminuição da cafaléia que leva ao desconforto. A profilaxia (ou prevenção) se faz com vacinas de vírus atenuados nas várias faixas susceptíveis. Também aqui a imunidade é permanente.

Leia também! Assuntos relevantes