Razões para passar mais tempo ao ar livre, de acordo com a ciência

Os efeitos benéficos de estar longe de casa, ao ar livre, são melhores do que imaginamos.

Não podemos negar que muitas pessoas passam muito tempo em ambientes fechados e alguns simplesmente nem saem de casa, durante o dia. Infelizmente, ficar dentro de casa muito tempo pode ter efeitos graves sobre a nossa saúde, tanto física como mentalmente. Hoje vamos ver por que é tão importante sair de casa ocasionalmente. 

Para começar, nosso corpo precisa de vitamina D presente na luz solar para manter os ossos saudáveis e prevenir doenças como a osteoporose. Da mesma forma, uma série de estudos têm mostrado que simplesmente passar o tempo em contato com a natureza e não apenas ao ar livre (em um parque ou campo), pode aumentar a nossa criatividade e função cognitiva.

Vários estudos têm mostrado que caminhar e se exercitar na natureza  tem efeitos muito positivos na memória. Em um estudo liderado pelo pesquisador Marc G. Berman, da Universidade de Michigan estudantes tiveram que fazer um teste de memória breve; em seguida, eles foram divididos em dois grupos. O primeiro grupo realizou uma caminhada através de uma área cheia de árvores e o outro teve um passeio por uma rua na cidade. Quando os participantes retornaram e refizeram o teste de memória, aqueles que tinham caminhado pelo parque tiveram um desempenho de quase 20% melhor do que a primeira vez. Aqueles que tinham andado pela cidade não mostraram nenhuma melhora consistente.


Confira alguns benefícios de andar ou caminhar ao ar livre:


Tem efeito anti-stress


Tocando as plantas

Estar ao ar livre muda o nível de estresse sobre o corpo. Um estudo de 2009 descobriu que os estudantes enviados para a floresta por duas noites tinham níveis mais baixos de cortisol, o hormônio do estresse, em comparação com aqueles que passaram esse tempo na cidade. 

Em outro estudo de 2011 (efeitos médicos preventivos da terapia da natureza), os pesquisadores descobriram uma diminuição na freqüência cardíaca e nos níveis de cortisol  em indivíduos que tinham passado o tempo na natureza em comparação com a cidade. 


Reduz a inflamação

A inflamação tem sido associada com uma vasta gama de doenças, incluindo doenças auto-imunes, doença inflamatória intestinal, depressão e câncer. Passar o tempo na natureza pode ser uma maneira eficaz de combate a inflamações. Em um estudo, os estudantes que passaram algum tempo na floresta  tinham níveis mais baixos de inflamação do que aqueles que passaram algum tempo na cidade.  


Combate a depressão e ansiedade


Senhor no parque

Ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental podem ser aliviados ao passar algum tempo ao ar livre, especialmente quando combinado com exercícios físicos. Um estudo revelou que caminhadas pela floresta foram associadas com a redução de níveis de ansiedade e mau humor.

Um estudo publicado em 2008 pela revista Ophthalmology, concluiu que, pelo menos com crianças, atividade ao ar livre pode ter um efeito protetor sobre os olhos, reduzindo o risco de desenvolver miopia. 


Prevenção do câncer

Pesquisa sobre essa conexão ainda está em seus estágios iniciais, mas estudos preliminares sugeriram que passar o tempo na natureza, particularmente nas florestas, podem estimular a produção de anti - proteínas cancerígenas que podem durar até 7 dias depois de ter passado o tempo na natureza. 

As pessoas que vivem em áreas com maior cobertura florestal obtêm menores taxas de mortalidade de uma ampla variedade de cânceres 


Fortalece o sistema imunológico


Menina correndo em trilha

Tempo ao ar livre fortalece o sistema imunológico, combatendo doenças como resfriadas, gripes e outras infecções. Um estudo de 2010 observou que estes resultados sugerem que ambientes florestais possuem efeitos benéficos sobre a função imunológica humana.

Leia também! Assuntos relevantes