O Período Militar - (1964 - 1985)

O Período Militar - (1964 - 1985)

Por

O período militar foi o momento político em que o Brasil foi governado apenas por militares, passando por repressão, violência e o fim dos direitos constitucionais.

O período militar durou de 1964 a 1985 no Brasil. Esse momento da história brasileira foi marcado por controle, repressão, censura e violência.

Durante o período militar, a política brasileira foi conduzida apenas por militares por meio de Atos Institucionais que pregavam a prática da censura, a perseguição política, a supressão dos direitos constitucionais e a falta total de democracia.

A Ditadura militar começou com um golpe que aconteceu em 31 de março de 1964. Por meio desse golpe, o então presidente da república, João Goulart, foi deposto, e o Marechal Castelo Branco assumiu o poder.

O golpe de estado durou até a eleição de Tancredo Neves, em 1985. Os militares optaram pelo golpe alegando uma possível ameaça comunista no país.

Depois da tomada do poder, os militares estabeleceram o AI-1, que apresentava 11 artigos que iriam tocar o governo militar. O AI-1 modificava a constituição, anulava mandatos legislativos, interrompia direitos políticos por 10 anos e determinava a realização de eleições indiretas para a presidência da República.

O regime militar foi considerado um regime de exceção. As Forças Armadas começaram a controlar a sucessão presidencial.

Durante toda a ditadura militar a liberdade de expressão e de organização foi banida. Os partidos políticos, sindicatos e organizações representativas da sociedade passaram a sofrer perseguição por parte do governo.

A ditadura também foi marcada por um projeto desenvolvimentista que deu início à industrialização e ao crescimento econômico. O marechal Humberto de Alencar Castello Branco esteve à frente do primeiro governo militar.

Um dos marcos da ditadura militar foi a promulgação do Ato Institucional nº 5 (AI-5), em dezembro de 1968. Essa determinação do governo representou o fechamento completo do sistema político e acabou com a cidadania por meio da ampliação da repressão policial-militar.

O governo militar também contou com a presidência de Costa e Silva, do general Emílio Garrastazu Médici, de Ernesto Geisel e João Baptista Figueiredo.

Durante o governo de Geisel, os militares radicais começaram a perder força. Nessa fase, a repressão diminuiu, e os movimentos estudantis e sociais começaram a se reorganizar. Em 1978, o presidente revogou o AI-5 e restaurou o habeas corpus.

No governo do general João Batista Figueiredo, o período da ditadura militar chegou ao fim. O momento foi marcado pela aprovação da Lei de Anistia.

Com o fim da ditadura, milhares de exilados políticos voltaram ao Brasil. No último ano do governo Figueiredo surgiu o movimento das Diretas Já, que resultou nas eleições diretas.

Leia também! Assuntos relevantes