O Liberalismo Econômico


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


O Liberalismo Econômico

Por Bernado Chrispim Baron

A teoria do liberalismo econômico surgiu na Europa e na América no final do século XVIII, em um cenário onde o colapso do mercantilismo tornava necessário estabelecer novos modelos econômicos para atender às necessidades de um capitalismo em pleno desenvolvimento.

A idéia central do liberalismo econômico é a defesa da independência da economia de qualquer interferência proveniente de outros meios. Ainda segundo esta doutrina econômica, deve ser colocada a ênfase na liberdade de iniciativa econômica, na livre circulação da riqueza, na valorização do trabalho humano e na economia de mercado (defesa da livre concorrência, do livre cambismo e da lei da procura e da oferta como mecanismo de regulação do mercado), opondo-se assim ao intervencionismo do Estado e às demais medidas restritivas e protecionistas defendidas pelo Mercantilismo.

Em outras palavras, para os adeptos do Liberalismo Econômico todos os agentes econômicos são movidos por um impulso de crescimento e desenvolvimento econômico, que poderia ser entendido como uma ambição ou ganância individual, mas que no contexto macro traria benefícios para toda a sociedade, uma vez que a soma desses interesses particulares promoveria a evolução generalizada. Seus ideais eram de que toda riqueza provém do trabalho, e o comércio apenas distribui o produto, não sendo agregado trabalho algum; o trabalho seria a fonte de toda riqueza. Defendiam a Livre concorrência, a Lei da oferta e da procura e foram os primeiros a tratar a economia como ciência.

O Liberalismo Econômico teve como principais teóricos François Quesnay, Vincent de Gournay e o escocês Adam Smith. Quesnay afirmava que a verdadeira atividade produtiva estava inserida na agricultura. Já Gournay defendia que as atividades comerciais e industriais deveriam usufruir de liberdade, para assim se desenvolverem e alcançarem a acumulação de capitais. Por fim, para Adam Smith, a prosperidade econômica e a acumulação de riquezas são concebidas através do trabalho livre, sem nenhum agente regulador ou interventor; o próprio mercado dispunha de mecanismos próprios de regulação - a “mão invisível” -, que trariam benefícios para toda a sociedade, além de promover a evolução generalizada.


Referências
-> DANTAS, Tiago. “Liberalismo Econômico”. Brasil Escola. Disponível em: < http://www.brasilescola.com/economia/liberalismo-economico.htm>. Acesso em: 10/04/08.

-> NUNES, Paulo. “Conceito de Liberalismo Econômico”. Knôôw.net. Disponível em: < http://www.knoow.net/.../liberalismoeconomico.htm>. Acesso em: 10/04/2008.

-> WIKIPÉDIA, A Enciclopédia Livre. “Liberalismo Económico”. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Liberalismo_econômico>. Acesso em: 10/04/2008.

-> LUIZ C., Mario. “O que é Liberalismo Político?”. Yahoo Respostas, pergunta de “Kinha”. Disponível em: < http://br.answers.yahoo.com/.../index?qid=20080221113625AAr6Jyw>. Acesso em: 11/04/08.

-> ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. “O Liberalismo Político”. Shvoong, resumo de “Annelise”. Disponível em: < http://pt.shvoong.com/law-and-politics/politics/1687385-liberalismo-político/>. Acesso em: 11/04/2008.

-> WIKIPÉDIA, the Free Encyclopedia. “Liberalism”. Disponível em: . Acesso em: 11/04/2008.

-> WIKIPÉDIA, a Enciclopédia Livre. “Liberalismo Clássico”. Disponível em: . Acesso em: 11/04/2008.

-> WIKIPÉDIA. “Teoria da Separação dos Poderes”. Disponível em: . Acesso em: 11/04/2008.

-> VITÓRIA Mais. Foto do Palácio de Anchieta. Disponível em: . Acesso em: 11/04/08.

-> CÂMARA Municipal de Catanduva. Título. Informações complementares (“Coordenação”, “desenvolvida por”, “apresenta...” e, quando houver, “etc...”). Disponível em: . Acesso em: data.


Copyright(c) 2008 BERNADO CHRISPIM BARON.

É garantida a permissão para copiar, distribuir e/ou modificar este documento sob os termos da Licença de Documentação Livre GNU ( GNU Free Documentation License).
Versão 1.2 ou qualquer versão posterior publicada pela Free Software Foudation; sem Seções Invariantes. Textos de Capa Frontal, e sem Textos de Quarta Capa.
Um cópia da licença pode ser vista em < http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:GNU_Free_Documentation_License > e há também uma tradução não-oficial para o português brasileiro que pode ser vista em < http://pt.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:Tradução não-oficial da GFDL >.

Texto enviado às 10:04 - 02/11/2008
Autor: Bernado Chrispim Baron






[ Pesquisa escolar lida 81286 Vezes - Categoria: História ]


Leia também! Assuntos relevantes.

A Teoria da Divisão dos Poderes de Montesquieu
A Teoria da Separação dos Poderes ou da Tripartição dos Poderes do Estado é uma teoria de ciência política desenvolvida pelos filósofos gregos Aristót...
Lido: 91465 Vezes

Os Três Poderes em Vitória
Palácio de Anchieta, sede do Poder Executivo do estado do Espírito Santo e maior símbolo deste Poder na cidade de Vitória. Localiza-se em frente ao Po...
Lido: 9504 Vezes

O Liberalismo Político
Assim como o Liberalismo Econômico, o Liberalismo Político ganhou força no século XVIII, embora o início da formação de suas idéias centrais remonte à...
Lido: 105605 Vezes

Estudantes Online | Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Sendo um veículo de comunicação, não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2014 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados