O Átomo de Bohr

O Átomo de Bohr

Dando prosseguimento aos trabalhos de Planck e Einstein, Nieis Bohr criou um modelo atômico no qual os elétrons ligados ao núcleo só poderiam se apresentar em determinados estados quantizados de energia. Com esse modelo, Bohr conseguiu deduzir teoricamente as freqüências emitidas pelo átomo de hidrogênio, o que deu grande crédito à sua teoria.

Segundo o modelo de Bohr, os elétrons de um átomo, submetidos à ação da força atrativa de Coulomb exercida pelo núcleo, movem-se em torno dele em órbitas semelhantes às dos planetas em torno do Sol, mas sem emitir radiações, como acreditava Maxwell. Além disso, existem duas condições limitativas:

1 - Um elétron não pode percorrer em torno do núcleo uma órbita qualquer, mas apenas determinadas órbitas. Quando o elétron se encontra numa dessas órbitas, o átomo apresenta uma energia bem definida.

2 - Em cada órbita, podem se mover no máximo dois elétrons (princípio da exclusão).

Ao absorver energia, um elétron pode passar de uma órbita mais interna para uma mais externa. Ao fazer a passagem inversa, o elétron libera, sob a forma de radiações eletromagnéticas, a energia correspondente à diferença entre as energias dos níveis das duas órbitas.

Louis de Broglie (1892-1987), partindo de uma idéia que nasceu do átomo quantizado de Bohr, lançou a hipótese de que os elétrons também teriam características de onda.

A partir daí, Erwin Schrõdinger (1887-1961) e Heisenberg (1901-1976) lançaram a mecânica quântica, na qual as partículas elementares são tratadas matematicamente como ondas.

Niels Bohr (1885 - 1962)

Fonte:
http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060914113859AA66ud0

Leia também! Assuntos relevantes