Neoliberalismo

A teoria do estado mínimo defendida pelo pensamento neoliberal corresponde à defesa dos países ricos que utilizam suas principais representações internacionais, como o FMI, o BIRD, empresas, capital e controle sobre o conhecimento tecnológico, forçando os países pobres a reduzir o poder de seus Estados como agente econômico, obrigando-os a implantar reformas estruturais, como privatizar as estatais e os setores estratégicos, ao mesmo tempo que mudam a política monetária e cambial, facilitando a entrada das empresas e do capital
estrangeiro, forçando os países periféricos a eliminar o protecionismo. Os representantes dos países centrais defendem a idéia de os governos dos países pobres ficarem somente com a responsabilidade direta sob a educação, principalmente no ensino básico ou fundamental, o restante deve ser privatizado. Esta situação ficou bem exposta no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, onde somente os EUA não enviaram representantes, demonstrando nova posição desta potência nas relações internacionais, com a chegada ao poder pelos republicanos, ao mesmo tempo que ocorria o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, no Brasil. Como obrigar os países periféricos a privatizar BIRD - Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento Medidas

1980 - Implanta o plano de reformas estruturais. Facilita a liberação de recursos para o Terceiro Mundo; basta que os países tomem as seguintes medidas:

- implanta as reformas tributária, fiscal, orçamentária, político-partidária, judiciária, trabalhista, etc.;

- avanço no processo de privatizações.

1983 - Implanta o plano de reformas estruturais, setoriais ou estratégicas.

Medidas
- Liberalização da agricultura, a exemplo da soja no Centro-Oeste, no Brasil.

- Deve privatizar ou terceirizar os serviços como tratamento de água, esgoto, coleta e tratamento de lixo, etc.

- Deve privatizar setores estratégicos, como o setor energético, transportes, sistema viário, comunicações, etc. O Fundo Monetário Internacional (FMI) assume a responsabilidade de acompanhar, fiscalizar c exigir o cumprimento das medidas impostas pelo BIRD. Para isto elabora o plano econômico neoliberal, que respeitando a realidade política, econômica, cultural e social de cada país, seu objetivo principal não modifica, que é abrir ou internacionalizar a economia dos países do Terceiro Mundo, como o Plano Real, no Brasil, e o Plano Cavallo, na Argentina.


Análise geopolítica
Como a maioria dos países periféricos eram governados de forma autoritária, na maioria sob controle da elite militar, era conveniente redemocratizar estes países. É triste chegar à conclusão que a campanha das Diretas Já, no Brasil, atendeu a interesses internacionais. A nova tecnologia resulta numa transferência de atividades produtivas para o Terceiro Mundo, mudando o papel de cada país no comércio internacional, alterando a DIT. A nova tecnologia resulta em novas máquinas e nova forma de produção, tendo como conseqüência o desemprego estrutural. É cada vez mais difícil analisar de forma sedimentada a realidade econômica mundial, mas é fácil perceber como as situações política e social são resultados diretos ela realidade econômica e do poder de manipulação do capital financeiro internacional e vice-versa. É possível distinguir e impossível não perceber como a implantação das idéias neoliberais está alterando a forma de funcionamento das sociedades, principalmente na redução dos valores coletivos e avanços do individualismo. Em contrapartida, o inundo se surpreende cada vez mais com os discursos de cunho social das autoridades nacionais e internacionais, quanto à necessidade de investir na solução das questões que afetam as populações do Terceiro Mundo, como a fome, a tuberculose, a AIDS, o ebola, o analfabetismo, o excedente populacional, as guerras tribais, de interesse econômico para as empresas multinacionais, como as guerras de diamantes na África. Esta situação nos países pobres já está chegando na porta dos países ricos, pois o processo de exclusão também está atingindo parcela significativa das populações dos países ricos, tanto na Europa como na América do Norte.

O Terceiro Mundo, incluindo o Brasil, foi submetido às idéias neoliberais, de forma muito rápida. As elites nacionais embarcaram nestas idéias, implantaram seus planos econômicos de cima para baixo, sem noções reais quanto à capacidade de sua própria sociedade. Um bom exemplo desta realidade foi o Encontro do Grupo dos Oito (G-8), em julho de 2001 em Gênova, na Itália, onde pela primeira vez os sete mais ricos e a Rússia priorizam em suas discussões, uma pauta, onde a maioria dos itens são de cunho social, devido ao processo de exclusão provocado pela globalização.


Fonte:
http://www.scribd.com/doc/9589915/Conhecimentos-Gerais

Leia também! Assuntos relevantes