Nativos Brasileiros


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Nativos Brasileiros

Primeiramente a denominação "índio" não é coerente, sendo que os portugueses deram esse nome aos nativos que viviam aqui, pois eles pensaram que tinham chegado à Índia. Quando o português entrou em contato com o nativo ele percebeu diferenças entre eles, mas ele não soube respeitar isto. Os primeiros a classificarem foram os Jesuítas, que os classificaram em "Tupi"("língua solta) que viviam no litoral e os "Tapuias"(língua travada) que viviam no interior do Brasil. Os Tupis tiveram muito contato com os portugueses. No século XIX dois alemães, Von Martuis e Von den Stein, decidiram fazer uma classificação científica dos nativos, eles os classificaram de acordo com o tronco lingüístico, o tronco Tupi e o tronco Tapuia que era dividido em três: Jês, Caraíbas e Aruaques. Atualmente usa-se a etnologia levando em consideração a língua, a região e os objetos utilizados, e assim se chega a uma classificação.

O contato entre nativos e brancos foi muito ruim para o lado dos nativos que levaram a pior, pois eles tinham um estilo de vida que não foi respeitado, eram de certa forma atrasados tecnologicamente, não tinham ambição, nem armas de fogo. O branco trouxe várias doenças que mataram muitos nativos, a igreja queria fazer a catequização dos nativos e os brancos fizeram um verdadeiro genocídio dos nativos.


Contatos entre brancos e nativos no decorrer da história do Brasil
O caminho para a Índia era controlado por Gênova e Veneza, então por isso Portugal tentou achar outro caminho se lançando no Atlântico, até que chegou "acidentalmente" ao Brasil. No início o Brasil não apresentava nenhum interesse a Portugal, pois ele estava se dando bem com o comércio no Oriente, e o Brasil não apresentava nenhuma riqueza. De 1500 a 1530 Portugal mandava raramente expedições ao Brasil que ainda não tinha despertado seus interesses. Essa expedições vinham em busca do Pau-Brasil, usado como corante e na construção naval, o Pau-Brasil era retirado pelos nativos que os armazenavam nas feitorias, e quando as expedições chegavam os nativos pegavam a madeira

Colocavam ela nos navios e em troca recebiam bugigangas(pentes, espelhos, colares), o nome dessa troca é escambo. Então com o passar do tempo o nativo que não tinha ambição e já tinham as bugigangas necessárias param de pegar o Pau-Brasil, com isso os brancos começam a obrigá-los a fazer esse trabalho, e assim alguns nativos se revoltam, muitos são mortos, outros fogem para o interior do país e os que ficam são escravizados.

Em 1530 o Brasil começou a despertar o interesse de alguns países, então Portugal decidiu mandar pessoas virem morar aqui, pois era a única forma de proteger a costa do Brasil. Eles davam a terra e condições para eles morarem aqui essas terras distribuídas eram as sesmarias, e nessa época a cana-de-açúcar era a produção mais rentável,pois o açúcar era um produto muito procurado e exótico, eles produziam em latifúndios, monocultores e no início usavam a mão de obra nativa. Isso foi um choque imenso para os nativos que tiveram que se adequar ao estilo de vida imposto pelo branco. Portugal estava descontente com o comércio no Orientem, pois não estava dando muito lucro, então eles decidiram proibir a escravização nativa e decidiram vender o negro africano para os latifundiários. A igreja queria catequizar os nativos. Isso proporcionou uma aculturação dos nativos eles tiveram uma espécie de "lavagem cerebral’, pois perderam sua cultura de origem e estavam aprendendo uma nova totalmente diferente. Como a expectativa de vida dos escravos negros era muito baixa, teve uma época que os escravos estavam acabando, com isso os Bandeirantes penetraram no interior do Brasil a procura de nativos novamente, e ele atacam tribos "selvagens"(nunca tiveram contato com o branco) e as missões jesuítas, sendo que os nativos das missões o gentio, era mais caro, pois ele já estava aculturado e era mais fácil lidar com ele.

No século XVII encontrou-se ouro no Mato Grosso, Goiás e outros estados do interior do Brasil. Isso causou a morte de muitos nativos, e nessas regiões no interior do Brasil surgem cidades, e com o surgimento dessas cidades o contato entre o branco e o nativo é extremamente prejudicial ao nativo, pois eles contraem doenças que eles nunca tiveram contato, essas doenças mataram centenas de nativos.

No século XIX e XX surge o café e ocorre um verdadeiro extermínio da natureza, pois era necessário a construção de estradas de ferro para o transporte. Com a 2º Revolução industrial a borracha era uma matéria muita utilizada e requisitada, e o Brasil tinha muita matéria prima para a produção deste, principalmente no Norte do Brasil, o que causou mais uma vez o extermínio do nativo do interior do Brasil.

As principais causas do extermínio do nativo são:
Garimpos;
Rodovias;
Exploração de madeira;
Posse de terra.

Em 1910 foi criado o SPI(sistema de proteção ao índio), ele colocava os nativos em reservas florestais, mas não deu certo, pois mesmo assim o homem branco não respeitava, como ele não respeita até hoje. Em 1969 foi criado a FUNAI que também não deu certo. Em 1988 colocou-se na constituição alguns dos direitos dos nativos, e como sempre os direitos dos brasileiros nunca saem do papel.Mas as únicas organizações que deram certo foram as não-governamentais.

Todo este extermínio do índio se deve a ambição do homem branco.


Comunicado da equipe grupoescolar.com:
As opiniões expressas nesse artigo é de responsabilidade do seu autor. Somos apenas um veículo de comunicação e não compactuamos com nenhuma opinião sobre o tema.


Fonte:
http://www.estudanet.hpg.ig.com.br/nat-bras.htm





Saiba mais

Buscas relacionadas a Nativos Brasileiros em História.


[ Pesquisa escolar lida 19705 Vezes - Categoria: História ]


Leia também! Assuntos relevantes.

Região Centro Oeste do Brasil
Você poderá observar que, o Centro-Oeste passou por grandes transformações nas últimas décadas, especialmente depois da construção de Brasília em 1960...
Lido: 227900 Vezes

Como o índio se veste?
Os índios têm um jeito bem característico de se vestir e se enfeitar. Penas na cabeça, saias, pinturas corporais e colares estão entre os adornos que ...
Lido: 26299 Vezes

Imigração japonesa no Brasil
A imigração japonesa no Brasil começou no início do século XX, como um acordo entre o governo japonês e o brasileiro. O Brasil abriga a maior populaçã...
Lido: 31830 Vezes

Agricultura no Norte do Brasil
A região norte do Brasil é formada por sete estados: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Com clima predominantemente equatoria...
Lido: 39771 Vezes

Brasil - Os primeiros cem anos (1500-1600)
Um mundo conflitivo Para o século 20, o ano de 1917, o ano da Revolução Russa foi o detonador de décadas de lutas ideológicas que se travaram pelo m...
Lido: 29765 Vezes

Agricultura no Sudeste do Brasil
A Região Sudeste é a mais rica do país, formada pelos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Apesar de a indústria se...
Lido: 48758 Vezes

A Lei do Casamento Gay no Brasil
Em 2011, uma notícia agradou os casais que vivem em união homoafetiva no Brasil: no dia 05 de maio o casamento gay foi reconhecido. A decisão foi d...
Lido: 6487 Vezes

A Corte Portuguesa no Brasil
Para contar a história da Corte Portuguesa no Brasil, precisamos voltar até as brigas entre França e Inglaterra. Afinal, o que é que Portugal e mai...
Lido: 69176 Vezes

Limites Territoriais do Brasil
Os primeiros tratados referentes ao Novo Mundo foram a bula Intercoetera de 1493, realizada pelo papa Alexandre VI e o Tratado de Tordesilhas (1494) q...
Lido: 28423 Vezes

Sugestão de Busca Escolar

Sites

Encceja
Enem
SISU
Prouni
FIES
Relacionamento

Fale Conosco
Feed / RSS

Comunidade no Google +
Comunidade no Twitter


Novidades no seu e-mail

Estudantes Online
Sobre o Grupo Escolar

GrupoEscolar.com - Todos direitos reservados

Todo o conteúdo do site é retirado da internet e/ou enviado pelos estudantes.

Caso algum conteúdo infrinja direitos autorais entre em contato que adicionaremos crédito ou retiraremos o mesmo.

As opiniões expressas nos textos são de responsabilidade dos seus autores.

Somos apenas um veículo de comunicação e não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.