Morfologia do Verbo

A área da linguística engloba os estudos de morfologia, ou seja, a análise da estrutura, classificação e formação das palavras. Neste cenário, uma das avaliações feitas é em relação aos verbos, dentro da chamada morfologia do verbo.

Esse estudo tem como objetivo compreender as peculiaridades dos verbos, avaliando de forma específica a estrutura dos verbos e suas conjugações.

A morfologia do verbo é uma área que olha de forma isolada para essa classe gramatical, considerando as complexidades e características de todos os verbos, tanto os regulares quanto os irregulares. O aspecto da morfologia verbal indica a conjugação adequada na primeira, segunda e terceira pessoas do singular e do plural.

Existem verbos regulares e irregulares, diferenciados pelas conjugações e pelo particípio. Alguns verbos, inclusive, seguem regras de mutação vocálica, e outros têm irregularidade forte, como, por exemplo, os verbos ir, ter, ver, caber, entre outros que não seguem paradigmas.


Classificação da Morfologia do Verbo

Os verbos formam grupos, de acordo com suas características de radicais e desinências. De uma forma geral, é possível dizer que os verbos podem ser:

Regulares – São aqueles que não são alterados na raiz ou no radical e que possuem desinências com estruturas preestabelecidas. Alguns exemplos são: cantar (cantei, canto); vender (vendi, vendo).

Irregulares – São aqueles que passam por mudanças na raiz ou no radical, com alteração na forma de conjugação. Alguns exemplos são: poder (pude, posso); saber (soube, sei).

Anômalos – São aqueles que apresentam radicais diferentes, como, por exemplo, o verbo ser (fosse, és).

Auxiliares – São aqueles que ajudam na conjugação de outros verbos, como, por exemplo, os verbos ter, estar e ser.

Abundantes – São aqueles que apresentam duas formas ou mais.

Equivalentes – São verbos no particípio, como, por exemplo, nascido/nato.

Defectivos – São aqueles que apresentam defeitos de conjugação, como, por exemplo, os verbos banir, falir, abolir, entre outros.

No caso dos verbos defectivos, eles ainda podem ser: impessoais ou unipessoais. Os impessoais são conjugados apenas na 3ª pessoa do singular, como o verbo havia, por exemplo. Já os unipessoais são conjugados na 3ª pessoa do singular e do plural.

Leia também! Assuntos relevantes