Monteiro Lobato

Monteiro Lobato

Por

Monteiro Lobato nasceu no interior de São Paulo, na cidade de Taubaté no ano de 1882. Estudou Direito e trabalhou durante um tempo como promotor público até tornar-se fazendeiro devido uma herança recebida de seu avô. E esse foi o passo decisivo na carreira literária do autor, já que o novo estilo de vida lhe permitiu publicar seus primeiros contos em revistas e jornais. Monteiro Lobato se tornou um excelente contista, tradutor e ensaísta.

Mas a vida de Monteiro Lobato não se limitou a escrever livros, naquela época, os livros brasileiros costumavam ser editados em Lisboa ou Paris e, percebendo a necessidade de produzir trabalhos cem por cento nacionais, Monteiro Lobato se torna editor e começa a editar livros também no Brasil, tendo controle dos trabalhos, Monteiro trouxe renovações nos livros didáticos e infantis.

Monteiro Lobato, se consagrou como um dos maiores escritores da literatura infantil natural, isso pelo fato de utilizar em seus trabalhos uma escrita simples onde à realidade e a fantasia seguem próximas uma da outra. Podemos dizer que, Monteiro Lobato foi um dos primeiros autores brasileiros a dedicarem seus trabalhos ao público infantil. Prova desta dedicação e amor pelas histórias voltadas para as crianças, são suas personagens: Emília, a boneca de pano com ideias independentes e sentimentos, Pedrinho, Visconde de Sabugosa, uma espiga de milho muito inteligente que parecia um homem, o atentado Saci Pererê e também, a temida Cuca. Todos esses personagens fazem parte de um universo único e fantástico chamado: O Sitio do Pica-Pau Amarelo, que encantou e ainda encanta crianças, jovens e adultos.

Mas, Monteiro Lobato não limitou-se sua imaginação ao Sítio do Pica-Pau. Também trouxe ao mundo estória como: A Menina do Nariz Arrebitado, Fábulas do Marquês de Rabicó, Noivado de Narizinho, O Pó de Pirlimpimpim, O Saci, As Caçadas de Pedrinho, O Poço do Visconde, O Pica-Pau Amarelo, A Chave do Tamanho e Reinações de Narizinho.

Além dos livros infantis, Monteiro escreveu grandes obras que também merecem destaques, como: Urupês, A Barca de Gleyer, O Choque das Raças e Escândalo do Petróleo. Neste último trabalho o autor deixa claro sua posição diante de seu país, mostrando seu nacionalismo e seu favorecimento da exploração de petróleo no país.

Em 1948, Monteiro Lobato falece, mas deixa sua memória viva em seus personagens imortalizados por seu talento.

Frases de Monteiro Lobato

"De escrever para marmanjos já estou enjoado. Bichos sem graça. Mas para crianças um livro é todo um mundo."

"É errado pensar que é a ciência que mata uma religião. Só pode com ela outra religião."

"O livro é uma mercadoria como qualquer outra; não há diferença entre o livro e um artigo de alimentação. (...) Se o livro não vende é porque ele não presta".

"Tudo tem origem nos sonhos. Primeiro sonhamos, depois fazemos."

Leia também! Assuntos relevantes