Macunaíma

Por

Macunaíma é um clássico da literatura brasileira, escrito por Mário de Andrade. A obra é uma crítica à sociedade brasileira, lançada durante um fase de prosperidade, evolução dos meios de comunicação e grande ebulição cultural.

Mário de Andrade foi um importante líder do movimento modernista. Sua literatura demonstrou a consciência e o desenvolvimento da cultura brasileira.

Em Macunaíma, o autor apresenta o anti-herói brasileiro, nascido à margem do Uraricoera, na floresta amazônica. Macunaíma era da tribo dos Tapanhumas, mas era um índio preguiçoso e que buscava o prazer amoroso.

Já durante a infância, o garoto Macunaíma se relacionava com Sofará, mulher de seu irmão Jiguê. Durante as relações sexuais com Sofará, Macunaíma transforma-se num príncipe, passando por metamorfoses.

Já na fase adulta, Macunaíma parte para uma caminhada sozinho pela vida e encontra Curupira, que lhe ensina a cometer erros. Depois ele encontra Ci, a Mãe do Mato, com quem se relaciona e tem um curumim, que morre prematuramente envenenado.

Triste com a perda, Macunaíma segue rumo às matas misteriosas e encontra Capei, monstro fantástico que solta uma nuvem de marimbondos pela boca. Nas lutas contra o monstro, Macunaíma perde seu talismã e fica sabendo que ele foi vendido a um rico fazendeiro de São Paulo. Macunaíma vai, então, para a capital paulista para recuperar seu muiraquitã.

O índio então se depara com a civilização e procura assimilá-la. Em seguida, Macunaíma vai para o Rio de Janeiro procurar o terreiro de macumba da tia Ciata.

O herói retorna a São Paulo para procurar novamente por Venceslau Pietro Pietra. Lá, ele passa por mais aventuras sexuais e por efêmeros momentos de fraternidade.

Macunaíma vive várias confusões, como se disfarçar de pianista e viajar pelo Brasil. Finalmente, Macunaíma consegue vencer o gigante e recuperar seu muiraquitã.

Ao final, o anti-herói brasileiro vai para Uraricoera, reconhece suas raízes e chora por ver sua tribo arruinada. Ele fica sozinho com um papagaio para quem conta todas as aventuras que viveu. Esse papagaio salva o herói do total esquecimento.


Análise da obra:
Macunaíma é um livro que mostra a renovação da linguagem literária. A obra foi publicada em 1928, com o título “Macunaíma, o herói sem nenhum caráter”.

A narrativa é fantástica e trata de temas de mitologia indígena e das visões folclóricas da Amazônia.

Macunaíma propõe uma nova organização da literatura brasileira, com bom humor e uma linguagem de vanguarda. O romance apresenta características do dadaísmo, do futurismo, do expressionismo e do surrealismo.

Leia também! Assuntos relevantes