José Mauro de Vasconcelos

José Mauro de Vasconcelos

Por

José Mauro de Vasconcelos nasceu no Rio de Janeiro no bairro de Bangú, mas foi criado no Rio Grande do Norte pelo fato de sua família ter a necessidade de ir viver com os tios devido a pobreza que viviam. Mas, José Mauro, antes de se tornar um escritor, sonhava em ser um campeão da natação e por isso, aos nove anos, treinava nas águas do Potengi.

José Mauro chegou a cursar medicina por dois anos, mas seu sonho era regressar ao Rio e por isso, certa vez decidiu embarcar em um velho cargueiro no ano de 1941 e voltar para sua cidade maravilhosa, neste regresso o escritor trabalhou como modelo para escultores, como boxer, carregador de frutas entre outros serviços.

Mas a vida do escritor não era fácil e depois de muito penar decidiu mudar-se para São Paulo onde trabalhou como garçom de uma boate entre outros até o momento que a sorte lhe bateu à porta com uma bolsa de estudos na Espanha, período em que viajou por diversas cidades da Europa até voltar ao país natal.

Ao regressar ao Brasil, José começou a trabalhar com os irmãos Villas-Boas onde começou a explorar uma região inóspita conhecida como Araguaia, algo que inspirou seu livro de estréia, Banana Brava em 1942 que falava a respeito do mundo dos homens dos garimpos, três anos depois, em 1945 é a vez de Barro Blanco, uma história sobre as salinas de Macau no Rio Grande do Norte, o primeiro grande sucesso de critica, depois desse outros vieram com mais facilidade.

Longe da Terra de 1949, Vazante de 1951, Arara Vermelha de 1953 e Arraia de Fogo de 1955, mas apesar de ter diversos trabalhos lançados, foi somente no ano de 1962 que José obteve seu maior sucesso ganhando assim a fama de escritor, o livro em questão, Rosinha, Minha Canoa, além disso, o livro foi utilizado nas aulas de Português na Sorbonne em Paris.

No ano de 1963 foi a vez de Doidão, livro no qual o autor fala sobre sua adolescência em Natal, na sequencia, O Garanhão das Praias e Coração de Vidro de 1964 e as Confissões de Frei Abóbora de 1966. Mas, o maior de todos os sucesso de José foi um livro concebido no ano de 1968 e muito conhecido O meu pé de laranja lima que devido ao sucesso foi adaptado pela antiga rede Tupi e pela Rede Globo como novelas e posteriormente, cinema.

Mas a vida de José como artista não se limitou as letras, também foi artista plástico, ator de televisão e teatro e foi assim até o seu falecimento aos 93 anos na cidade de São Paulo. A vida do autor José Mauro de Vasconcelos teve altos e baixos, indo de um lugar para outro, algo que trouxe para seu trabalho o tom simples e emotivo de livros que levaram muitos leitores ao seu mundo terno e sensível.

José Mauro de Vasconcelos, aos 22 anos começou sua carreira como escritor e seus trabalhos já foram traduzidos para diversas línguas, entre elas: alemão, inglês, japonês, italiano, espanhol, francês, entre outras, além dos trabalhos já destacados acima, outros merecem ser mencionados, como: Rua descalça de 1969, O Palácio Japonês de 1969, Farinha Órfã de 1970, Chuva Crioula de 1972, O Veleiro de Cristal de 1973 e Vamos Aquecer o Sol de 1974.

Muitos de seus livros ganharam vida nas telonas, um outro detalhe importante é que o autor contou sua vida de maneira peculiar em algumas de suas obras de maneira romanceada: Meu pé de laranja lima falando de sua infância em Bangu, Vamos aquecer o sol, a mudança para a cidade de Natal, sua vida adulta em Doidão e sua vida mais adulta em Confissões do Frei Abóbora.

Leia também! Assuntos relevantes