Importância Econômica das Algas


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Importância Econômica das Algas

Por Professora Loreine Hermida da Silva e Silva

INTRODUÇÃO
As algas são vegetais inferiores e compõem o plâncton, mais especificamente o fitoplâncton. Possuem clorofila, sendo considerados seres autotróficos, por realizarem fotossíntese, e por esse motivo, elas habitam as partes mais superficiais das regiões aquáticas onde, a incidência de luz é maior. A fotossíntese realizada pelas algas, é a mais importante entre todos os vegetais, pois é responsável pela renovação da maior parte de oxigênio para o ar atmosférico, desde quando apareceram as primeiras cianofíceas no período pré-cambriano, que ajudaram a modificar a atmosfera da época.


A ALGA NA ECONOMIA
Hoje em dia, já se conhece o largo benefício e utilização das algas e de seus derivados, tornando-se cada vez maior a sua comercialização. Alimentação: As microalgas são importantes por sobreviverem em ambientes muito difíceis para tal, como em águas muito salgadas, poluídas e até em ambiente terrestre, e principalmente por possuírem grande valor nutricional. Possuem proteínas, como a que é produzida pela Spirulina (facilitam a digestão por não possuir parede celulósica), ao contrário da Chororella (também com alto valor proteico, cuja digestão é mais difícil por possuir envoltório celulósico). Essas algas possuem maior valor até do que as carnes, trigo, soja, entre outros. Possuem também carboidratos, vitaminas (caroteno, ácido ascórbico…) e sais minerais (cálcio, ferro, fósforo, sódio, potássio …). A Undaria é importante ao te-cido ósseo, já que aumenta a concentração de cálcio no sangue.

As microalgas, são também comercializadas para sua utilização no fabrico de gomas, corantes naturais, pastas, entre ou-tros. As macroalgas, já são usadas principalmente, com essa finalidade , também possuindo grande valor nutricional e a-judando na formação do bolo alimentar, sendo seus maiores consumidores, os povos orientais. As Rodófitas, Clorófitas, Feófitas, como as espécies do gênero Laminaria, Alaria, Ulva e Durviella, são usadas diretamente em sopas, saladas, condimentos… As mais conhecidas são a Porphyra (que envolve o sushi), a Laminaria (usada no kombu), e a Undaria e Sargassum (usados no wakami).

As Rhodophytas produzem dois importantes produtos. Um deles é o ágar, sendo utilizado no meio culinário (é usado co-mo espessante e estabilizante). O outro produto é a carragenina, também usado como estabilizador, clareamento de cervejas, entre outros.

As Phaeophytas produzem o alginato, usados como espessantes e estabilizadores, clareador de cervejas, estabilizador de espumas, e na preservação de frutas.


Medicina
Na medicina, as algas são utilizadas como antibióticos, vermífugos, anestésicos, no controle de hipertensão, na diarréia; tosse e asma (como constituintes de xaropes) ; artrite; doenças venéreas; problemas de estômago, intestino; na ativação do sistema imunológico, na redução do colesterol… Espécies do gênero Laminaria, são usadas no combate ao inchaço da tiróide, e como substância anti-coagulante (devido a um componente com características semelhantes a heparina). Por pos-suírem propriedades de aumentar e diminuir seu volume, é utilizada na dilatação do colo uterino, a fim de provocar o parto prematuro. A Digenia simplex, é usada como anti-helmíntico, e a Phycocyaninis, é usada no combate à tumores. O ágar proveniente das Rhodophytas tem poder laxante.


Outras Utilizações
O ágar produzido pelas Rhodophytas, é utilizada na confecção de meio de cultura e na prática de eletroforese em labora-tórios, devido sua consistência gelatinosa. Também é utilizado na produção de goma usada na indústria têxtil, no meio far-macêutico como alguns medicamentos (citados no tópico anterior), cápsulas de remédios e cremes cosméticos. A carrage-nina, também extraída das Rhodophytas possui formas reversíveis as mudanças de temperatura (transformação de um líquido em gel e vice-versa), estando presente em cremes dentais, tintas, cosméticos, sabões e tecidos.

As Phaeophytas com o seu alginato, são encontrados no meio químico-farmacêutico em cosméticos, tintas (mantendo os pigmentos), papel, plásticos, filmes cinematográficos, e fibras como as usadas em alto falantes.Outro produto comerciali-zado é o diatomito. Vindo de depósitos geológicos de diatomáceas, é utilizado na produção de filtros, material refratário, polimento de metais, isolantes térmicos, além de serem misturados ao cimento, em construções.


Agricultura
As algas também são importantes na indústria de fertilizantes. Por apresentarem grande bainha de mucilagem, algumas algas atuam diminuindo a compactação do solo e na aglomeração de solos arenosos. Outras, promovem a fixação do nitrogênio do meio (enriquecendo o solo), controlam o pH, e podem se tornar bons fertilizantes de origem animal, por acumular além do nitrogênio, o potássio, mesmo sendo pobre em fósforo. Uma das algas mais utilizadas nesse meio, são as coralinas (principalmente as Lithothamnion e Lithophyllum), usadas no lugar de calcário, e reduzindo a acidez do solo.


Meio Ambiente
As algas são muito importantes também por serem bioindicadores de ambientes contaminados, (para futura despoluição), já que são bioacumuladores. Além de acumularem substâncias minerais, acumulam também metais pesados, podendo transmitir esses metais para os outros níveis da cadeia alimentar, sendo prejudiciais à saúde de seus consumidores. As algas do gênero Spirulina e Chororella possuem lipídeos, que estão relacionados com a qualidade ambiental, já que em po-luição, acumulam lipóides. Além de acumularem também metais pesados como o zinco, cobre...

Seus aspectos negativos no ambiente e na saúde, incluem também a produção de toxinas, alergias, difícil digestão (devido ao envoltório celulósico de algumas espécies), paladar desagradável, problemas respiratórios e intestinais, além de que sua grande proliferação causa excesso de sais na água, provocando desequilíbrio ecológico (como sufocamento e morte de a-nimais marinhos).

No Brasil, as bacias marinhas da Guanabara e a de Santos seriam dois excelentes ambientes para o cultivo de algas, mas, devido à poluição, ainda estão impróprias para o cultivo. Em áreas poluídas, elas crescem bem, mas acumulam metais pe-sados como chumbo, cobre e zinco. Indicando que podem ser usadas no combate à poluição marinha. Porém, teríamos um problema posterior, seria o que fazer das algas poluídas, já que não se poderia simplesmente retirá-las do mar e jogá-las em outros locais onde também contaminariam o ambiente. Com isso, o grande problema que impede o cultivo destas e sua subsequente utilização na economia nacional, é a poluição.


CONCLUSÃO
Mesmo sabendo que as algas possuem importância definida há um longo tempo somente a partir da 2a Guerra Mundial, devido a necessidade de se obter outros recursos alimentares, é que expandiu-se a utilização das algas como alimentos. Caso a agricultura se torne insuficiente para suprir as necessidades alimentares da população, podem ser substituídas pelas algas, que constituem uma excelente fonte de alimentos. Hoje em dia, o consumo alimentar de algas, é maior no Oriente, e o que se pode esperar, é a conscientização popular e governamental, da larga importância e utilização das algas, e o combate, frente a um dos maiores problemas ecológicos do país e do mundo, a poluição.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. BOLD, Harold c. ; WYNNE, Michael J.1978. Introdution to the Algae (Structure and Reproduction). Prentice-Hall Inc.

2. ORONOZ, Manuel R. 1958. Tratado Elementar de Botânica. Editora E.C.A.L., 5° edição, México. , Englewood Cliffs, New Jersey.

3. POTSCH., Waldemiro. 1962. Botânica. Fundação Alfredo Herculano Xavier Potsch, Rio de Janeiro.

4. RIZZINI, Carlos T.;MORS, Walter B. 1976. Botânica Econômica Brasileira. Editora pedagógica e universitária Ltda., São Paulo.

5. ROUND, F. E. 1965. The Biology of the Algae. Edward Arnold (Publishers) LTD, London, England

6. ZAJIC, J. E. 1970. Properties and Products of Algae. Plenum Press, New York, USA.

7. Revista "Ciência Hoje". Algas e Poluição por metais. ,vol.18.

8. USP, Universidade de São Paulo. Disponível na Internet via http:// www.usp.br


SEMINÁRIO APRESENTADO À UNI-RIO
DISCIPLINA DE BIOLOGIA E TAXONOMIA DE VEGETAIS INFERIORES
PROFESSORA LOREINE HERMIDA DA SILVA E SILVA



Fonte do Documento: http://www.geocities.com/athens/Oracle/1759/algas.zip






[ Pesquisa escolar lida 73341 Vezes - Categoria: Biologia ]


Leia também! Assuntos relevantes.

Lançamento Duplo (Cinemática)
Lançamento Duplo A análise do experimento descrito acima, em que se anotam as posições de um volante (ou uma esfera) que desce um plano inclinado con...
Lido: 5531 Vezes

Conhecimento Científico
Resulta de investigação metódica, sistemática da realidade. Transcende os fatos e os fenômenos em si, analisa-os para descobrir suas causas e concluir...
Lido: 69250 Vezes

Uretra - Corpo Humano
A uretra é um canal condutor membranoso presente nos homens e nas mulheres. Ela faz parte do sistema urinário dos seres humanos e é responsável por ex...
Lido: 17096 Vezes

Figuras de linguagem
Comparação: consiste em aproximar dois seres pela sua semelhança de modo que as características de uma sejam atribuídas a outro. Exemplo: Lívia é lind...
Lido: 23565 Vezes

Literatura Italiana
Literatura em língua italiana do século XIII até nossos dias. IDADE MÉDIA Antes do século XIII, a língua literária da Itália era o latim que f...
Lido: 13859 Vezes

Paralelogramos
Paralelogramos são polígonos de quatro lados, com segmentos paralelos que possuem medidas iguais. Nesse tipo de figura geométrica a soma dos ângulos i...
Lido: 5103 Vezes

Nova lei de internação de usuário de crack
Uma medida polêmica tem dividido opiniões entre especialistas em saúde pública. Uma política de internação compulsória de dependentes de crack tem cha...
Lido: 2656 Vezes

O que é o TNP - Tratado de Não Proliferação Nuclear?
O TNP - Tratado de Não Proliferação Nuclear é um acordo que impõe restrições às grandes potências mundiais com relação ao desenvolvimento de armas nuc...
Lido: 3808 Vezes

Conhecimento Místico
O conhecimento místico atribui sentido à vida por meio de representações fantasiosas. Na filosofia, chama-se de conhecimento místico a sabedoria qu...
Lido: 4335 Vezes

Lei da Anistia
A Lei da Anistia, de número 6.683, foi promulgada pelo presidente João Baptista Figueiredo em de 28 de agosto de 1979, durante a ditadura militar. Ess...
Lido: 2396 Vezes

Estudantes Online | Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Sendo um veículo de comunicação, não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2014 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados