O general Ernesto Geisel assumiu a presidência do Brasil no ano de 1974. Ele foi o presidente que acompanhou o início do processo que levou o país à redemocratização.

Durante o governo Geisel, o Brasil deixou de viver a fase do milagre econômico, em que o país prosperava economicamente. Por isso, Geisel enfrentou uma forte resistência e muita insatisfação popular com as condições de vida no Brasil.

Ainda nesse contexto, o país sofreu com a chamada crise do petróleo e com uma profunda recessão mundial, que impactou negativamente a economia nacional.


Fatos marcantes do Governo Geisel

O Governo Geisel durou exatamente de 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979. Ele foi o penúltimo governante do Brasil no período militar.


Leia também:
Ernesto Geisel

Ao assumir o governo, Geisel se comprometeu em promover uma abertura política lenta, porém gradual. Ele queria atender aos interesses da sociedade, mas sem acabar com o regime militar.

Durante o Governo Geisel, o Brasil viu diminuir as denúncias de morte, tortura e problemas com presos políticos. Também neste governo, houve o uso do Ato Institucional Número Cinco para decretar intervenção federal em Rio Branco. Isso aconteceu no ano de 1975. Esses fatos demonstram que Geisel estava disposto a iniciar a abertura política, mas com restrições.

Foi neste momento que os partidos de oposição ao regime militar começaram a ganhar força. Legendas como o MDB conquistaram mais espaço no Senado e na Câmara dos Deputados. Essas ocorrências desagradaram a linha mais rígida dos militares. Muitos ficaram realmente descontentes com o governo Geisel.


O assassinato de Vladimir Herzog

Um fato marcante do governo Geisel aconteceu em 1975. A morte do jornalista Vladimir Herzog revoltou a sociedade. O assassinato aconteceu nas dependências do DOI-Codi, em São Paulo.

Outros casos semelhantes ao de Herzog continuaram acontecendo. Em 1976, o operário Manuel Fiel Filho também apareceu morto em circunstâncias parecidas.


Medidas adotadas por Geisel

Entre as medidas importantes adotadas por Geisel está o fim do AI-5, que aconteceu em 1978. Além disso, o presidente restaurou os pedidos de habeas-corpus no país. Tais decisões foram um passo à frente no caminho de volta para a democracia.


Medida econômica

Para tentar conter a crise econômica, o governo Geisel elaborou o Segundo Plano Nacional de Desenvolvimento e criou o Programa Nacional do Álcool. As medidas tinham como objetivo estimular a economia e diversificar a matriz energética do Brasil.

Um fato relevante neste contexto foi o início da construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu. O projeto foi realizado em parceria com o Paraguai.

Protestos e o fim do governo Geisel

O aumento do custo de vida, a crise econômica e os elevados índices de inflação colocaram os trabalhadores em protesto nas ruas. Os movimentos organizados passaram a promover manifestações na região do Grande ABC, em São Paulo. Os protestos eram encabeçados pelo movimento sindical.

Essas manifestações projetaram o metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva na cena política. Por causa deste movimento, o presidente chegou a proibir greves.

O fim do governo Geisel se deu em 1979. Depois disso, ele continuou influente entre os militares. Ernesto Beckmann Geisel morreu em 1996, vítima de câncer.

Leia também! Assuntos relevantes