Estudo Morfológico do Grão de Pólen da Flor do Brinco de Princesa e do Maracujá Doce

Estudo Morfológico do Grão de Pólen da Flor do Brinco de Princesa e do Maracujá Doce

Por

Estudo Morfológico do Grão de Pólen da Flor do Brinco de Princesa (Hibiscus rosa-sinensis L.) e do Maracujá Doce (P. alata Dryander)

INTRODUÇÃO:
O grão de pólen (do latim pollen, pollinis, pó muito fino) é a estrutura que carrega os gametas masculinos, sendo formado no interior dos lóculos ou sacos polínicos das anteras dos estames. O grão de pólen adulto é rodeado por uma fina camada de celulose, a intina. A intina é recoberta por uma camada mais externa, a exina. A exina geralmente consiste de uma parte externa esculpida, a ectexina, e uma parte mais interna, a endexina, uma camada lisa. As esculturas da ectexina resultam de diferentes disposições de pequenos bastões os báculos, os quais apresentam extremidades grossas ou pontiagudas. Em muitas plantas, as extremidades dos báculos soldam-se entre si, formando um téctum, sendo o grão de pólen, neste caso, tectado.


OBJETIVO:
Os grãos de pólen são microscópicos com formas variáveis e típicas para cada espécie vegetal. Por isso, o estudo de identificação e da morfologia do grão de pólen na flor do brinco de princesa e do maracujá doce, irá contribuir positivamente para o ensino de sistemática e da anatomia vegetal.


METODOLOGIA:
As flores foram coletadas durante o período reprodutivo da planta, quando a antera estava aberta e liberando grãos de pólen maduros. Foram preparadas várias lâminas em laboratório e observadas em microscópio óptico. As melhores lâminas foram selecionadas para amostra e fotografadas.

RESULTADO E DISCUSSÃO:
Após analisar cada amostra dos grãos de pólen em laboratório, foi observado que no maracujá doce a endexina mostra-se com gravação reticulada e com báculos de menor tamanho; no brinco de princesa o grão de pólen é tectado.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
FILHO, C.F.D.; MÔRO, F. V. Morfologia Vegetal. Jaboticabal – SP. Funep. 2ª Ed. 2005. 172p.
LORENZI, H.; GONÇALVES, E.G. Morfologia Vegetal. São Paulo – SP. Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda. 2007. 416p.

Texto enviado às 11:38 - 13/11/2008
Autor: Elismar José Caxêta

Leia também! Assuntos relevantes