Estruturalismo

O termo estruturalismo deriva de estrutura. Esta palavra advém do latim (structura), e significa, primeiramente, construção.

Na linguagem filosófica, estrutura relaciona-se aos significados de forma, configuração, complexo, conexão.

Em linhas gerais, pode-se definir uma estrutura como um conjunto de elementos cujas partes atuam como funções uma das outras.

Assim, uma estrutura é um complexo de elementos que se interrelacionam de maneira indissolúvel; a alteração de um membro provoca, necessariamente, alterações no todo.

Embora a noção de estrutura seja utilizada desde o pensamento antigo, firmando-se a partir do romantismo alemão e da filosofia de Dilthey, recebe a denominação estruturalismo uma vertente da filosofia contemporânea, plenamente consolidada a partir da década de 50.

O estruturalismo recebeu, para sua formação, influências de diversos ramos do pensamento de nosso século.

Entre elas, destacam-se a lingüística propagada por Saussire, a antropologia de Lévi-Strauss e a psicanálise de Lacan.

O estruturalismo configura um método que consiste em buscar o sentido como realidade última, este compreendido a partir das relações que os termos de uma totalidade estrutural estabelecem.

Ao invés de subordinar o sentido à sua produção por um sujeito, o estruturalismo busca a gênese de sujeito e objeto a partir do sentido no qual estes, a princípio, se inscrevem.

A estrutura não corresponde, contudo, a uma mera totalidade; ela é o modelo de inteligibilidade presente em uma determinada configuração do real, sua possibilidade de organização lógica.

As relações entre os elementos, procuradas pelo olhar estrutural, não são prioritariamente de identidade ou semelhança, como em uma doutrina de caráter holista; antes, o estruturalismo persegue as diferenças, responsáveis pela criação das significações.

A semelhança é compreendida por este pensamento como um caso particular da diferença que a funda.

Assim, a finalidade do método estrutural é reconstruir logicamente um determinado objeto, a partir da considerações de suas diferenças, de modo a tornar manifestas suas regras intrínsecas de funcionamento. Alguns dos principais representantes do estruturalismo: Roland Barthes, Althusser, Michel Foucault, entre outros.


Fonte:
http://www.slimsite.hpg.ig.com.br/estru.html

Leia também! Assuntos relevantes