Drogas - O problema do crack no Brasil

Drogas - O problema do crack no Brasil

Por

Uma pesquisa da Universidade Federal de São Paulo mostrou que o Brasil é o maior mercado mundial do crack. O levantamento foi feito pelo Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad).

A pesquisa se baseou em dados de 4,6 mil pessoas, em 149 municípios do país. Segundo o estudo, pelo menos 2,6 milhões de brasileiros já experimentaram o crack uma vez na vida, número que representa 1,4% dos adultos. Já entre os adolescentes, o número de pessoas que já experimentaram esse tipo da droga foi de 150 mil.

Esses dados colocam o Brasil numa situação de emergência com relação à epidemia de crack. O problema é ainda mais grave nas grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro. A incidência do crack aumentou também nos países ricos por se tratar de uma droga que estimula muito o sistema nervoso central e que causa dependência de forma rápida.

Hoje, políticos e médicos discutem a melhor abordagem para o tratamento de usuários de crack. Uma das medidas colocadas em prática no país e que tem causado polêmica é a internação compulsória, que promove o tratamento mesmo contra a vontade do usuário.

O Brasil tem considerado o crack como um problema de saúde pública, que deve ser combatido por meio de ações que desmontem a rede de tráfico, trate os dependentes e acabe com as chamadas cracolândias.

Leia também! Assuntos relevantes