Dom Quixote é o personagem principal do livro escrito por Miguel de Cervantes, publicado em 1605. O livro é considerado uma obra de grande relevância histórica.

A obra prima de Cervantes é um clássico da literatura espanhola. Trata-se de um livro escrito em um período de inovação e de novas experiências para os ficcionistas da Espanha.

Classificado como uma novela realista, Dom Quixote apresenta uma sátira da cavalaria medieval. O livro conta com 126 capítulos e fala sobre a vida do fidalgo Dom Quixote.


Quem foi Dom Quixote?

Dom Quixote era um personagem apaixonado por histórias de heróis da cavalaria. Ele leu tantos livros sobre o tema que começou a confundir a realidade com a fantasia.

O fidalgo Dom Quixote passou, então, a viver em um universo paralelo, onde se arriscava por diversas aventuras com seu cavalo Rocinante e seu amigo Sancho Pança. Dom Quixote carregava consigo um escudo e uma lança. Ele e seus companheiros seguem em incursões pelas terras de La Mancha, Aragão e Catalunha.

Em sua fantasia, Dom Quixote se enxergava como um cavaleiro andante, que lutava pela justiça e em benefício dos mais fracos e oprimidos. Em resumo, ele vive um romance de cavalaria personalizado, na Idade Moderna.

Dom Quixote foi criado no século XVII. Suas aventuras se tornaram conhecidas no mundo inteiro. O personagem ficou marcado como o cavaleiro da triste figura. Ele era um homem de aproximadamente 50 anos, atrapalhado e que gostava de ler romances de cavalaria.

O fidalgo Alonso Quijano, apelidado de Dom Quixote, acaba louco, pois realmente acreditava que as histórias dos livros eram verdadeiras. Ele viveu no povoado espanhol da Mancha e montava um cavalo velho e magro.

Dom Quixote era apaixonado por uma camponesa imaginária, chamada Dulcinéia del Toboso. Em suas fantasias, porém, ele acreditava que Dulcinéia era uma mulher nobre e refinada, nascida em uma família rica.

Mesmo em meio à sua loucura, Dom Quixote é um personagem que preza pelo bem e pela justiça. Ao longo de sua trajetória, ele comete diversos enganos e trapalhadas, o que faz com que as pessoas o vejam sempre como uma piada.

Ao final do primeiro livro, Dom Quixote volta à lucidez e decide parar com as andanças e retornar à sua casa, onde segue uma vida tranquila e pacífica.

Por conta do sucesso da obra, a história ganhou uma segunda parte, além de livros de outros autores que também retratavam Dom Quixote. Todos os escritores queriam apresentar uma continuação para as aventuras do Cavaleiro da Triste Figura.


Em 1916, o próprio Cervantes publicou a continuidade da obra, com o título de “Segunda parte do engenhoso cavaleiro Dom Quixote de La Mancha”. Esta obra acompanhou o personagem por novas aventuras e retratou também sua morte, que ocorreu de forma tranquila em sua própria casa.

Com esta grande obra, Cervantes marcou seu nome na história da literatura universal!

Leia também! Assuntos relevantes