Doenças que afetam o tecido conjuntivo

Doenças que afetam o tecido conjuntivo

Por

O tecido conjuntivo é formado por células especializadas, responsáveis pela produção de fibras e substâncias intersticiais. Esse tecido está presente em estruturas articulares, como nas paredes vasculares e revestimento de órgãos. Além disso, o tecido conjuntivo também faz parte da constituição dos ossos, da cartilagem e dos tecidos musculares e adiposos.

As doenças do tecido conjuntivo são caracterizadas por processos inflamatórios e degenerativos. A maior parte dessas patologias apresenta sintomas complexos, que dificultam o diagnóstico. Dores nas articulações e nos músculos podem ser um sinal de doença no tecido conjuntivo.

As principais doenças que afetam esse tecido são autoimunes, ou seja, são doenças em que o sistema imunitário ataca o tecido.


Confira as doenças que afetam o tecido conjuntivo:

Lúpus eritematoso sistêmico – Os sintomas mais comuns são febre, mal-estar, cansaço, artrite, perda de peso, manchas na pele, vasculite, entre outros. O lúpus é desencadeado por um desequilíbrio do sistema imunológico. O tratamento é feito com medicamentos destinados a controlar a inflamação.

Artrite reumatoide – É uma doença inflamatória persistente. Ataca as articulações periféricas, provocando dor, deformidades e nódulos reumatoides. É uma doença incapacitante.

Esclerodermia – É uma patologia que se caracteriza por fibrose cutânea, hipertensão, artrite, insuficiência renal, entre outros problemas. Não tem cura.

Doença mista do tecido conjuntivo – Inflamação que provoca poliartrite, miopatia inflamatória, fibrose pulmonar e disfunção esofágica. Não tem cura.

Síndrome de Sjögren – Os principais sintomas são secura na boca e comprometimento de pulmões e rins. Também pode causar vasculite, alterações cardíacas e doença da tireoide.

Síndrome de Ehlers-Danlos – Essa doença é rara e tem perfil hereditário. A síndrome também é conhecida como doença da cútis elástica. O problema é desencadeado por um defeito na síntese de colágeno.

Essas doenças devem acompanhadas e tratadas por um médico reumatologista. Mesmo as doenças que não têm cura apresentam tratamentos para amenizar os sintomas e o avanço das patologias autoimunes sistêmicas.

Leia também! Assuntos relevantes