Doenças psicológicas que mais afetam as crianças

Doenças psicológicas que mais afetam as crianças

Por

Apesar de parecer pouco provável que uma criança venha a ter doenças psicológicas, como a depressão, por exemplo, isso é bastante comum, mas o diagnóstico nem sempre é simples. É preciso haver conscientização quanto à existência dessas doenças e de como elas podem afetar a vida e o desenvolvimento das crianças. Os sintomas mais comuns em doenças psicológicas nas crianças e nos adolescentes são as reclamações físicas frequentes, retirada social, explosões frequentes, comportamento despreocupado e irritabilidade, podendo ser acompanhado de notas baixas repentinas na escola e dificuldade para se concentrar, por exemplo. Algumas doenças específicas, entretanto, podem apresentar alguns sintomas também específicos, por isso listamos algumas das doenças que mais afetam as crianças nos dias atuais.


Depressão

Há, recentemente, um aumento significativo no número de crianças que sofrem com a depressão. Estima-se que 2,5% das crianças podem apresentar depressão em qualquer momento, e é importante estar atento aos sinais apresentados.

Dentre os sinais da depressão estão: baixa autoestima e culpa; comportamento autodestrutivo e conversas sobre suicídio; reclamações físicas frequentes; aumento da irritabilidade, raiva ou hostilidade; passa mais tempo sozinha do que o normal; isolamento social ou comunicação escassa; diminuição do interesse em atividades que antes gostava; e tristeza frequente, persistente ou choro.


Transtorno bipolar ou maníaco-depressivo

O transtorno, bastante sério, é normalmente diagnosticado no período da adolescência. O indivíduo com transtorno bipolar apresenta sintomas, em um momento da depressão, e em outro de mania, que envolvem a autoestima inflada; diminuição da necessidade de sono; comportamento de alto risco; e fala ou pensamentos rápidos. Nesses casos há riscos significativos de suicídio, daí a importância do diagnóstico prematuro.


Ansiedade

Mais comum do que podemos imaginar, a ansiedade também afeta às crianças, sendo bastante comuns nesse período. A ansiedade passa a ser um problema quando passa a atrapalhar comportamento natural e funcional, dificultando as atividades na escola, nas relações pessoais, etc. 13% das crianças pode vir a sofrer de ansiedade por períodos de aproximadamente seis meses. Dentre os principais sintomas encontramos preocupação frequente com as coisas mesmo antes de elas acontecerem; preocupações constantes com relação ao desempenho escolar, aos amigos e aos jogos esportivos, entre outros; pensamentos ou ações repetitivas; medos extremos de cometer erros; baixa autoestima. Os tipos específicos de ansiedade envolvem ainda as fobias, que são medos irreais e excessivos sobre coisas ou situações; transtorno de ansiedade social, que é uma ansiedade opressiva em relação aos outros; transtorno da ansiedade generalizada, que é uma extrema preocupação com relação as atividades em geral; transtorno obssessivo compulsivo (TOC), que envolve pensamentos repetitivos e/ou intrusivos, comportamentos repetitivos que causam angústia ou interferem nas atividades diárias.


TSPT - Transtorno de estresse pós-traumático

Violência extrema, guerra, desastres naturais e casos de abusos podem causar TSPT em crianças e adolescentes, causando reações como ansiedade extrema, choro, irritabilidade, retirada social, culpa, entre outros sintomas. Quando em pequenas quantidades, os sintomas podem ser normais, mas quando persistentes, podem ser sinais do TSPT. Entre os sintomas temos re-experimentação do evento traumático em situações percebidas como similares; falta rotineira de lembranças do evento; senso de ter falta de futuro; aumento das perturbações do sono; irritabilidade; concentração pobre; reações de susto; e comportamentos regressivos.

Leia também! Assuntos relevantes