Dissertação


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Dissertação

Por Celso L. Pagnan

O texto dissertativo
Celso L. Pagnan

Quando queremos defender uma idéia e convencer nosso leitor acerca de nosso ponto de vista, devemos elaborar um tipo de texto que consiga apresentar com clareza nossas hipóteses, justificá-las com base em argumentos, refutar contra-argumentos, exemplificar e encaminhar para conclusões. Enfim, com base em reflexão e raciocínio, orientamos nosso leitor na direção que consideramos a mais acertada. Esse tipo de texto é chamado dissertativo, e corresponde ao que nós conhecemos como um texto científico, um editorial de jornal.

Esse tipo de texto envolve reflexão e raciocínio, e que se apóia no genérico, no abstrato para levar ao leitor o conhecimento pretendido. Como sempre há uma intenção argumentativa, o objetivo de uma dissertação é influenciar, persuadir, convencer o interlocutor, fazendo-o crer em algo, aderir a uma opinião. Na dissertação, o enunciador de texto manifesta explicitamente sua opinião ou seu julgamento.


Estrutura do texto dissertativo
O texto dissertativo organiza-se em três etapas, cada uma das quais com funções bem específicas que, em conjunto, oferecem ao leitor uma visão de totalidade. Vejamos cada uma dessas três partes:

Introdução: é a parte em que se apresenta a idéia principal, a tese, a qual deverá ser desenvolvida progressivamente no decorrer do texto. A idéia principal é o ponto de partida do raciocínio. A elaboração dessa etapa inicial exige boa capacidade de síntese, pois a clareza alcançada na exposição da idéia constitui uma das formas de obtermos a adesão do leitor ao texto; não que o leitor de imediato concorde com nosso primeiro argumento – a tese – mas se oferecermos a ele um contato direto com a matéria que encaminhará nossa argumentação, o texto ganhará maior objetividade e rigor.

Desenvolvimento: a articulação de novos argumentos ocorre nesta etapa de elaboração do texto. No desenvolvimento, as informações sobre a matéria anunciada na introdução são analisadas, debatidas em confronto com informações integrantes, ou não, do universo a que pertence o tema. É evidente que a variedade de conexões entre os argumentos depende da riqueza do repertório de quem escreve e da possibilidade de constituir-se com eles uma rede de sentidos; a quantidade de informações por si só não assegura a qualidade da argumentação, já que esta, como uma operação lógica, decorre do domínio sobre o material lingüístico (estruturação da frase, pontuação, uso de conectivos etc.) e da adequação dos argumentos ao contexto, antecedida do exame da veracidade de cada um deles.

Conclusão: esta parte, que é também chamada de desfecho, sintetiza o que há de mais relevante no conteúdo desenvolvido; o objetivo dessa retomada de conteúdos é registrar as considerações finais do autor sobre o tema.



Exemplo de dissertação publicada em jornal:
Comerciais exibidos na televisão recorrem a estereótipos para criar a sensação de desejo no inconsciente do telespectador. A linguagem da propaganda, em qualquer meio de comunicação, é sempre a da sedução, a do convencimento. (introdução)

Na TV, seu discurso ganha um reforço considerável: a força das imagens em movimento. Assim, fica muito difícil resistir aos seus apelos: o sanduíche cujos ingredientes quase saltam da tela com sua promessa de sabor, o último lançamento automobilístico – que nenhum motorista inteligente pode deixar de comprar – deslizando em uma rodovia perfeita como um tapete, a roupa de grife moldando o corpo esguio de jovens modelos.
A publicidade funciona assim nas revistas, nos jornais, no rádio e nos outdoors, mas suas armas parecem mais poderosas na televisão. Se é verdade, como dizem os críticos, que a propaganda tenta criar necessidades que não temos, os comerciais de TV são os que mais perto chegam de nos fazer levantar imediatamente do sofá para realizar algum desejo de consumo – e às vezes conseguem, quando o objeto em questão pode ser encontrado na cozinha.

Aprender a “ler” as peças publicitárias veiculadas pela TV tem a mesma importância, na formação de um telespectador crítico, que saber analisar os noticiários e as telenovelas. A parte mais óbvia desse trabalho de conscientização refere-se, claro, à identificação das estratégias usadas para criar o apelo ao consumo.

Entre as armas da publicidade para seduzir o telespectador destacam-se a nudez, a inocência infantil e a plasticidade quase irreal das imagens. Independente do apelo ao consumo, os comerciais exibidos pela televisão também se prestam a análises mais amplas de conteúdo.
(desenvolvimento)


Ao difundir modelos de comportamento, os comerciais exercem tanta influência sobre os telespectadores quanto os personagens de novelas. E, ao reforçar estereótipos associados a raças e classes sociais, por exemplo, contribuem decisivamente para que imagens distorcidas da sociedade continuem a ser propagadas.
(Conclusão)


“Publicidade: a força das imagens a serviço do consumo.” Jornal Folha de S. Paulo.


Autor: Celso L. Pagnan
Fonte: http://www.redacional.com.br/dissertacao.htm




Leia também! Assuntos relevantes.

Johann Sebastian Bach
Johann Sebastian Bach nasceu em Eisenach, na Alemanha, em 21 de março de 1685. Vindo de uma família de músicos, ele seguiu os passos de seus antepassa...

Objetos com a letra Z
A letra Z (zê) é a vigésima-sexta do nosso alfabeto, ou seja, é a última letra do alfabeto latino. Não existem muitas palavras no português que comece...

Composição da Matéria Viva
- Possui características muito especiais, se comparada à matéria inanimada; - Possui muitas características em comum, se comparada entre si, anima...

Os Estados da Matéria
A matéria pode existir em três estados: sólido, líquido e gás. O sólido mantém o seu volume e sua forma, independe da forma do recipiente em que ele ...

Escrita
Método de comunicação humana realizado por meio de sinais visuais que constituem um sistema. Estes sistemas podem ser incompletos ou completos. Os ...

Dislexia
A Dislexia é um transtorno genético que prejudica o desenvolvimento da linguagem. O problema é hereditário e pode ser notado a partir da dificuldade q...

Fluxo de matéria na cadeia alimentar
A matéria se mantém num ciclo interminável, ora passa por uma fase inorgânica, ora atravessa uma fase orgânica. A energia, entretanto, não segue um...

O Fourierismo e os Primórdios do Socialismo no Brasil
Autora: Adelaide Gonçalves I - O Brasil do Século XIX O Brasil inicia o século XIX preso ainda às amarras coloniais, uma sociedade rural e escr...

Glândula Pineal
A glândula pineal fica no centro do cérebro humano. Essa pequena glândula endócrina está especificamente localizada entre os dois hemisférios cerebrai...

Ostrogodos
Os ostrogodos eram um povo que viva na região da Escandinávia. Eles faziam parte dos godos, povo germânico que, inicialmente, era unificado, mas que d...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2016 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados