Coqueluche

A coqueluche é uma infecção aguda na região da traquéia, brônquios e bronquíolos, conhecida também como pertussis ou tosse ferina. É causada pelo bacilo de Bordet-Gengou ou Bordetella pertussis, ou ainda Hemophilus pertussis. O início é indistinguível de outras afecções das vias aéreas, como tosse, a princípio não característica, evoluindo para tosse intensa com ruído respiratório profundo e prolongado -- o guincho.
A transmissão é direta, através de gotículas expelidas durante a tosse. A eliminação máxima de germes efetua-se no período catarral ( 1ª e 2ª semana).

Sintomatologia
O período de incubação é de 7 a 14 dias, ou até menos nos lactentes.
Inicia-se pela fase catarral (1 a 2 semanas), com sintomatologia gripal característica. A fase seguinte deomina-se convulsiva (3 a 6 semanas) e caracteriza-se por ataques de tosse extenuantes (2 a 50 por dia), expectoração muco-viscosa e, freqüentemente , vômitos.
E, por final, a fase regressiva, com redução da freqüência dos ataques de tosse, com recidivas ocasionais. A maior taxa de mortalidade verifica-se nos lactentes.
Ocasionalmente, poderão ocorrer algumas complicações, como hemorragias nasais e das conjuntivas, broncopneumonias, encefalopatias, otites médias, etc.
Poderão permanecer algumas seqüelas: bronquiectasias, deficiências neurológicas e transtornos psíquicos (pós-encefalíticos).

Profilaxia e Tratamento
A melhor prevenção é o uso precoce da vacina (tríplice) já a partir do 2º mês de vida; em geral, três injeções, com um mês de intervalo. Aimunização, sem ser absoluta, é de 2 a 3 aos. Para os doentes, não há tratamento específico; opta-se pelo isolamento, para evitar a disseminação, e pelo uso de antibióticos, para evitar complicações.