Ciclo do Café

O café chegou ao ocidente cercado de exotismo e mistério. No Brasil, as primeiras plantas foram trazidas ao Pará no início do século XVIII e cultivada com interesse quase decorativo em pequenos terrenos próximos a moradias e até mesmo em jardins.

Anos depois, os cafezais já tomavam conta das montanhas na cidade do Rio de Janeiro e das primeiras posições na lista de exportações nacionais. Quando surgiram as grandes lavouras, as fazendas se espalharam por terras paulistas e fluminenses, formando unidades de produção auto-suficientes com grande quantidade de mão de obra.

Além de uma alternativa à mineração e aos engenhos de açúcar, a cafeicultura impulsionou o início da imigração européia, a instalação da malha ferroviária e da industrialização do sudeste brasileiro. Os produtores de café receberam distinções sociais e estiveram relacionados aos principais movimentos políticos e econômicos que precederam a proclamação da república. Neste século, as lavouras paranaense desafiaram as condições climáticas e deram grande contribuição à produção nacional.

A trajetória da cafeicultura e a cultura gerada nas fazendas e plantações chegaram aos núcleos urbanos semeando marcas imortalizadas pelos artistas plásticos brasileiros. Cada gole da bebida, transformada em símbolo nacional, aquece a cadeia produtiva de um dos principais itens da economia brasileira tendo sido por muito tempo o regulador do comércio internacional do país.

Leia também! Assuntos relevantes