As cantigas de roda fazem parte do folclore brasileiro. Elas também são chamadas de ciranda de roda, e se caracterizam por canções de letra simples e fácil melodia que encantam as crianças.

Feitas para as brincadeiras infantis, as cantigas de roda são, normalmente, cantadas em roda e têm uma coreografia. As crianças costumam aprender a cantar essas músicas na escola.

Criadas por autores anônimos, as cantinas de roda são patrimônio cultural do Brasil. São canções populares, com temáticas infantis e divertidas.

Origem das cantigas de roda

As Cantigas de Roda nascem da cultura popular. Elas são fruto da sociedade e existem em todos os Estados do Brasil, reforçando a cultura local e a imaginação. As cirandas apresentam caráter totalmente folclórico.

Com letras de fácil memorização e trocadilhos, as cantigas de roda são ideais para as brincadeiras e momentos de descontração das crianças. Elas, normalmente, falam sobre animais, sobre o dia a dia e sobre o universo da fantasia. No Brasil, existem letras clássicas, que passam de geração para geração, como “A barata diz que tem”, “Atirei o pau no gato” e “Sapo Jururu”.

Assista: A barata diz que tem

Assista: Atirei o pau no gato

Assista: Sapo Jururu

Como já mencionado, as cantigas têm autoria anônima, e podem ser adaptadas e alteradas por qualquer pessoa, criando novas versões. Essas canções são transmitidas oralmente e se tornam populares.

Algumas cantigas brasileiras têm influência da cultura europeia, de países como Espanha e Portugal. Além disso, outras cantigas apresentam o retrato do Brasil, com influência indígena.

Por meio das cantigas de roda é possível conhecer as tradições, os costumes, as festas populares e a vida das pessoas em cada região do país.


As cantigas de roda mais famosas

As cantigas de roda estão entre as grandes expressões folclóricas do Brasil. Essas músicas são extremamente importantes para a cultura do país.


Confira as cantigas mais conhecidas do Brasil:

1.

Capelinha de melão

Capelinha de melão

É de São João

É de cravo, é de rosa,

É de manjericão

São João está dormindo

Não acorda, não

Acordai, acordai,

Acordai, João!


2.

Caranguejo

Caranguejo não é peixe

Caranguejo peixe é

Caranguejo não é peixe

Na vazante da maré.

Palma, palma, palma,

Pé, pé, pé

Caranguejo só é peixe, na vazante da maré!


3.

Atirei o pau no gato

Atirei o pau no gato, tô

mas o gato, tô tô

não morreu, reu, reu

dona Chica, cá cá

admirou-se, se se

do berrô, do berrô, que o gato deu, Miau!


4.

Ciranda cirandinha

Ciranda, cirandinha, vamos todos cirandar, vamos dar a meia-volta, volta e meia vamos dar

O anel que tu me deste era vidro e se quebrou

O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou

Por isso, Sr. Fulano entre dentro dessa roda

Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá-se embora


5.

A canoa virou

A Canoa virou

Pois deixaram ela virar

Foi por causa da Maria

Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho

E soubesse nadar

Eu tirava a (nome da pessoa)

Do fundo do mar

Siri pra cá

Siri pra lá

Leia também! Assuntos relevantes