Brasil na Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial aconteceu entre os anos de 1914 e 1918. O conflito, que envolveu diversos países do mundo, teve também a participação do Brasil.

A atuação brasileira na Primeira Guerra foi simbólica e deixou evidente o atraso econômico do Brasil na época. Durante o período da Primeira Guerra, a economia brasileira era totalmente baseada na exportação de café.

Leia também:
História da Primeira Guerra Mundial

No início do conflito, o Brasil manteve uma posição neutra, mas em 1917 o país decidiu se alinhar com os interesses dos Estados Unidos. A justificativa do Brasil para entrar definitivamente no conflito foi que os alemães haviam atacado com submarinos os navios mercantes brasileiros. Na ocasião, três marinheiros do Brasil morreram no afundamento do navio Paraná. Esta situação provocou grande revolta na sociedade brasileira e acelerou a entrada do país na Primeira Guerra, ao lado dos Estados Unidos.


Como o Brasil atuou na Primeira Guerra Mundial?

A ideia do Brasil ao apoiar os Estados Unidos na Primeira Guerra era conquistar destaque internacional. Nosso país foi o único da América do Sul a participar do conflito.

O Brasil declarou guerra à Alemanha no dia 26 de outubro de 1917. O então presidente Venceslau Brás foi o responsável por tal ato. Movido pela necessidade de dar uma resposta aos ataques alemães contra os navios brasileiros, o presidente posicionou o Brasil contra a Tríplice Aliança formada por Alemanha e Império Austro-Húngaro.

Mesmo declarando guerra à Alemanha, o Brasil não enviou soldados para os campos de batalha. Isso significa que nenhum militar brasileiro morreu em conflito.

A participação do Brasil na Primeira Guerra se deu exclusivamente por meio do envio de medicamentos e equipes de assistência médica. Esse suporte foi oferecido à Tríplice Entente, formada por Reino Unido, França, Rússia e Estados Unidos.

Uma segunda forma de participação se deu com a realização de missões de patrulhamento no Oceano Atlântico.

De certa forma, a Primeira Guerra serviu para impulsionar os investimentos na indústria brasileira. O país também aproveitou para lucrar com a exportação de borracha e café.

Na época, o Brasil não possuía tecnologia bélica e tinha uma economia tímida, o que tornou seu papel na Segunda Guerra bastante inexpressivo.

A participação na guerra fez com que o Brasil começasse a investir em sua estrutura militar, com a aquisição dos primeiros carros blindados do país. A economia brasileira foi a mais impactada pelo conflito. Enquanto a Europa passava por um momento de retração econômica, o Brasil iniciava sua trajetória rumo ao desenvolvimento industrial.

Leia também! Assuntos relevantes