Bernardo Guimarães

Bernardo Guimarães

Por

No dia 15 de Agosto de 1825, na cidade de Ouro Preto, Minas Gerais, nasce Bernardo Joaquim da Silva Guimarães, onde vive apenas os primeiros quatro anos de sua vida, vindo a se mudar com sua família para Uberaba, onde iniciou sua vida estudantil, completando sua instrução em Ouro Preto e Campo Belo.

Em 1847, Bernardo inicia sua faculdade de Direito, no entanto, percebe que não tinha vocação alguma para as leis e acaba sendo reprovado na prova final do curso. Teve que fazer uma segunda-época simplesmente para granjear o diploma de bacharel. No entanto, o que parecia ser um desastre na verdade era apenas o início de uma outra carreira.

Foi no meio acadêmico que Bernardo se dedicou a sua veia literária, ao lado de escritores como: Alvarez de Azevedo e José de Alencar, que se tornaram amigos íntimos do autor. Foi ao lado deles que Bernardo começou a curtir uma vida literária e boêmia e também, a mergulhar no mundo das ideias do romantismo, movimento este que dava vazão aos sentimentos e as emoções.

O Cantos de Solidão de 1852, foi seu primeiro trabalho lançado, coincidentemente, no mesmo ano que conquistou seu diploma de bacharelado, no entanto, este primeiro trabalho não teve tanto sucesso devido ao seu conteúdo satírico e erótico, algo que, para aquela época, contrastava demais com o gosto que imperava na época.

Foi a partir de 1869 que Bernardo começou a chamar atenção como escritor de prova e ficção. Primeiramente com o seu romance “O Ermitão de Muquém” , para três anos depois, lançar mais alguns trabalhos que se tornaram suas principais obras: O Garimpeiro, O Seminarista e também a tão consagrada A Escrava Isaura de 1875 que trouxe em suas páginas o abolicionismo da época.

Bernardo Guimarães é considerado por muitos um grande contador de causos, já que sua escrita traz o tom cotidiano daquela época. Muitos estudiosos acreditam que essa tonalidade literária nada mais era que um reflexo da vida que Bernardo possuía ao seu redor, suas histórias parecem tão próximas do leitor que é quase impossível não perceber os típicos trejeitos das histórias contadas em volta de uma fogueira.

Suas obras são tão marcadas pelas caracteristicas do ser humano que, podemos dizer que Bernardo estava a frente do seu tempo. Em suas obras podemos perceber um pouco do realismo e naturalismo, movimentos que vieram depois do romantismo. Algo muito presente na obra de Bernardo eram as características do povo sertanejo, até mesmo o seu próprio psicológico.

Aos 58 anos, Bernardo Guimarães falece e no ano de 1896 recebe uma homenagem póstuma, a de ocupar a quinta cadeira da Academia Brasileira de Letras.

Leia também! Assuntos relevantes