As Disparidades Socioeconômicas Mundiais

As Disparidades Socioeconômicas Mundiais

Por

O mundo é cheio de disparidades socioeconômicas. Enquanto existem poucas nações ricas e desenvolvidas, que promovem uma digna para seus habitantes; muitos países estão amargando a pobreza, as guerras e conflitos e a fome.

O desenvolvimento econômico não acontece de maneira igualitária no mundo e, por isso, uma grande parcela da população mundial sofre com graves problemas, como a pobreza extrema, a falta de moradia, de emprego, alimentos, atendimento de saúde, educação e transporte digno.

Todos sabem que atualmente um pequeno número de países controlam a riqueza e a produção de bens de consumo, enquanto uma grande massa vive uma realidade sombria. As nações da África estão entre as mais sofridas e pobres. Países como Etiópia, Somália e Mauritânia apresentam uma alta taxa de mortalidade de adultos e crianças por causa da fome. Nações como estas apresentam um baixo índice de desenvolvimento econômico e social.

Até mesmo países em desenvolvimento, como Brasil e Argentina, apresentam fortes desigualdades sociais, com a concentração de riquezas nas mãos de poucos. A disparidade socioeconômica é evidente, e deve se intensificar nos próximos anos.

O perfil da pobreza e da extrema pobreza

A má distribuição das riquezas e a falta de oportunidades igualitárias criaram um grande contraste econômico e social entre as sociedades dos diversos países do mundo. De acordo com as Nações Unidas, a concentração de renda interfere diretamente no acesso aos serviços e direitos básicos dos seres humanos.

Hoje, as famílias consideradas pobres vivem com menos de 2 dólares por dia. Já os extremamente pobres, recebem menos de 1,25 dólar por dia para sobreviver, e essa parcela corresponde a 22% da população mundial.

Os países da América Latina, do sul da Ásia e da África Subsaariana são os que enfrentam maiores dificuldades e também os que apresentam quadros mais acentuados de desigualdade social. Já Estados Unidos e as nações da Europa estão entre os mais ricos.

Leia também! Assuntos relevantes