Alianças na Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial foi marcada por várias alianças entre os países. As disputas por territórios e soberania levaram a uma acirrada corrida armamentista na Europa.

Os países firmaram alianças estratégicas para que pudessem se defender mutuamente no caso de uma guerra. Para isso, investiu-se muito na tecnologia bélica.

Potências imperialistas, como Inglaterra e França, trabalhavam para expandir ainda mais sua presença e domínio mundial, enquanto Itália e Alemanha possuíam apenas territórios de menor importância e com menos riquezas. Essa diferença no poder exercido pelas nações levou a conflitos de interesses.

Alemanha e Itália queriam encontrar novos domínios e, por isso, entraram na corrida bélica. Ao mesmo tempo, França e Inglaterra investiam em armamentos para uma possível defesa de seus interesses econômicos e colônias. Esse foi o contexto que levou à Primeira Guerra Mundial.

Leia também:
Causas da Primeira Guerra Mundial
História da Primeira Guerra Mundial
Os Tratados de Paz da Primeira Guerra Mundial
Brasil na Primeira Guerra Mundial


As alianças da Grande Guerra

Antes de 1914, as nações europeias já haviam estabelecido suas alianças. Alemanha, Itália e Império Austro-Húngaro formaram a Tríplice Aliança. Por esse acordo, os países definiram como deveriam se comportar em caso de guerra. A aliança estabelecia que, se a Alemanha fosse vítima de uma invasão inimiga, a Itália deveria apoiá-la militarmente.

Por outro lado, França, Rússia e Inglaterra formaram a Tríplice Entente, com um acordo que equilibrou as disputas territoriais entre os países e estabeleceu uma relação diplomática mais assertiva. O acordo deu origem a um processo de polarização política, militar e econômica que envolvia as principais potências do continente europeu.

Em 1914, um ato terrorista nos bálcãs deu início ao conflito armado. Com isso, os grupos aliados se formaram com mais força. Foram estabelecidos dois grupos distintos: os Aliados e as Potências Centrais. O grupo dos aliados era encabeçado por França, Rússia e Inglaterra, enquanto as Potências Centrais contavam com Alemanha, Áustria-Hungria, Império Otomano e Bulgária. Os demais países envolvidos se juntaram à guerra durante o conflito.

Os Estados Unidos, por exemplo, apoiaram os Aliados por conta de interesses comerciais e econômicos. Portugal também entrou na coalizão contra a Alemanha. Além disso, o Brasil passou a apoiar os Aliados no ano de 1917.

Com o apoio dos Estados Unidos no conflito armado, a Tríplice Entente venceu a Primeira Guerra Mundial. De uma forma geral, essa guerra aconteceu para que cada país dos grupos aliados pudesse defender seus próprios interesses. Além disso, muitas nações nutriam um forte sentimento antialemão.

Alianças na Primeira Guerra Mundial | Triplice entente e triplice alianca
Clique na imagem para ampliar


A guerra só terminou porque a Alemanha não tinha mais condições de lutar contra os aliados. Isso fez com que os germânicos solicitassem o armistício.

Após a guerra, ocorreu a Conferência de Versalhes, que resultou nos termos impostos à Alemanha pelo Tratado de Versalhes, pelos quais o país perdia territórios e sofria sanções. Os alemães nunca se conformaram com a derrota na Primeira Guerra Mundial, e esse foi um dos motivos que levaram, mais tarde, à ocorrência da Segunda Guerra.

Leia também! Assuntos relevantes