A Importância da Camada Superficial de Solos para a Sociedade Brasileira


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


A Importância da Camada Superficial de Solos para a Sociedade Brasileira

Por Álvaro Rodrigues dos Santos

Talvez não exista no âmbito da Geologia de Engenharia e da Agronomia recomendação técnica mais simples, clara e de tamanha importância para as atividades humanas no meio rural e no meio urbano como a de conservar intacta a camada de solos superficiais, evitando removê-la ou revolvê-la.

Via de regra, a camada superficial de solos (horizonte B agronômico - algo na faixa de 0,5 a 2,0 metros de espessura) tem uma composição bem mais argilosa em relação aos horizontes inferiores (solo residual e solo saprolítico – horizonte C agronômico), o que lhe confere uma coesão entre partículas muito maior, tornando-a, por conseguinte, mais resistente aos processos erosivos de superfície.

É interessante a explicação do motivo pelo qual há mais minerais argilosos na proximidade da superfície dos terrenos. Os minerais das rochas primárias (magmáticas ou metamórficas) foram formados em condições extremas de temperatura e pressão. Ou seja, são ambientalmente compatíveis com essas condições extremas, e, portanto, francamente desarmônicos com as condições ambientais hoje vigentes na superfície do planeta. O processo de alteração de uma rocha é assim um processo que caminha na produção de novos minerais, mais compatíveis com o meio-ambiente da superfície. Desses novos minerais, os mais equilibrados com esse novo ambiente são os minerais argilosos.

Além do intemperismo (desagregação e alteração físico-química dos minerais da rocha) são também importantes na formação dos solos superficiais dois outros processos. A pedogênese, que envolve a alteração bio-química dos minerais, e a laterização, que implica na migração de íons no interior do solo. Ambos estes processos colaboram com a produção de argilo-minerais e com a cimentação das partículas por diversas classes de óxidos, o que contribui também para a forte ligação entre as partículas desses solos.

Em decorrência desses fatores formacionais, os solos superficiais chegam a ser 30 (trinta) vezes mais argilosos do que os solos das camadas inferiores. E até mais de 100 (cem) vezes mais resistentes à erosão.

Além da erosão, no meio rural o contínuo revolvimento dos solos superficiais, a não adoção de técnicas conservacionistas de cultivo como as curvas de nível, a rotação de culturas, o plantio direto, faz com que sejam lixiviados (carreados por percolação interna de água) e removidos os principais elementos nutritivos desses solos, tornando-os progressivamente estéreis para a agricultura, deficiência em parte somente compensada com expressivos gastos em fertilizantes, corretivos e defensivos agrícolas.

Do ponto de vista econômico, os processos erosivos rurais e urbanos incidem em prejuízos da ordem de bilhões de dólares/ano para a sociedade brasileira. No Brasil, a perda média de solos por erosão superficial nas áreas rurais utilizadas pela agricultura e pela pecuária está estimada em torno de 25 toneladas de solo por hectare/ano, ou seja, algo em torno de 1 bilhão de toneladas de solo perdidas anualmente, e que, agudizando o desastre, promovem o intenso assoreamento de cursos d’água, lagos e várzeas. Na área urbana o problema não é menor. Na Região Metropolitana de São Paulo, por exemplo, a perda média de solos por erosão está estimada em algo próximo a 15 toneladas de solo por hectare/ano, decorrendo problemas fantásticos para a infra-estrutura urbana, com especial destaque colaborando para os gravíssimos fenômenos de enchentes. No caso urbano, o principal fator de remoção da camada superficial de solos está na problemática cultura da terraplenagem, implementada de forma intensa, extensa e despropositada nas frentes de expansão urbana, via de regra removendo por completo os solos superficiais e expondo à erosão os solos mais erodíveis das camadas inferiores.

Os prejuízos para a sociedade brasileira advindos da remoção e do revolvimento dos solos superficiais no meio rural e urbano são de tal monta que estão a exigir e inspirar uma verdadeira cruzada tecnológica por sua preservação, a ser promovida pelo Poder Público de todos os níveis e pelos empreendimentos privados diretamente envolvidos com o problema. Certamente, a primeira iniciativa neste sentido caberá ao meio técnico-científico brasileiro.



-O Geól. Álvaro Rodrigues dos Santos ( santosalvaro@uol.com.br ) é autor, dentre outros, do livro: A Grande Barreira da Serra do Mar: da trilha dos Tupiniquins à Rodovia dos Imigrantes de Álvaro Rodrigues dos Santos

-Ex-Diretor da Divisão de Geologia e Ex-Diretor de Planejamento do IPT

-Consultor em Geologia de Engenharia e Geotecnia



Fonte:
http://ivairr.sites.uol.com.br/camadasuperficial.htm




Leia também! Assuntos relevantes.

Agricultura no Sudeste do Brasil
A Região Sudeste é a mais rica do país, formada pelos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Apesar de a indústria se...

Alimento versus calorias
Desde que a humanidade existe - pode recuar bastante, ao tempo do Australopitecus, por exemplo - que o organismo animal está adaptado à relação matemá...

Animais que vivem no solo
Existem muitas espécies de animais que vivem no solo. É possível dizer que a terra apresenta grande diversidade de seres vivos. Alguns desses animais ...

Quais são os elementos que compõem o solo?
O solo é uma parte fundamental para a vida no planeta Terra. Essa é a área responsável pela produção de alimentos e é onde o homem vive de forma mais ...

Agricultura no Centro-Oeste do Brasil
A Região Centro-Oeste do Brasil conta com os Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal. Na região, a agricultura é basicame...

Geologia
O que é a Geologia? Geologia é a ciência que estuda a Terra. Parece muito amplo, não? E realmente é, trata-se de uma das mais abrangentes ciência...

Plantas transgênicas na agricultura
Relatório preparado sob os auspícios da Royal Society de Londres, Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos, Academia Brasileira de Ciências, A...

Agropecuária da Rússia
A Rússia tem investido para aprimorar sua agropecuária nos últimos anos. No passado, o país contava com propriedades coletivas para a exploração agrop...

Entenda a crise dos alimentos
A recente alta nos preços dos produtos agrícolas foi motivada por uma série de fatores conjugados e se tornou uma crise mundial. O maior temor, além d...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2015 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados