A Guerra do Ópio

A Guerra do Ópio

Por

A Guerra do Ópio foi marcada por dois conflitos distintos, envolvendo a China, a Grã-Bretanha e a França. Os combates foram travados no século 19, em território chinês.

O motivo que levou à guerra foi que Grã-Bretanha e França se aliaram para forçar a China a liberar a venda de ópio em seu território. O ópio era uma droga anestésica extraída da papoula e muito consumida na época.

Britânicos e franceses tinham o interesse de exportar a droga para a China, com o objetivo de criar uma compensação nas relações comerciais da época, já que os chineses eram os maiores exportadores de mercadorias para os países ocidentais, vendendo produtos de alto valor, como o chá, as porcelanas e as sedas.

Acontece que o governo chinês proibiu o consumo do ópio no país, alegando que a droga já havia causado graves problemas sociais para o povo da China. Um decreto imperial de 1796 passou a controlar a droga.

Obviamente, ingleses e franceses, que tinham interesses financeiros no comércio do ópio, não gostaram do controle imposto pelos chineses. Dessa forma, a Guerra do Ópio teve início, gerando dois conflitos.

A guerra ganhou força quando Grã-Bretanha e França tentaram obrigar a China a permitir a venda do ópio. Em 1839, o governo da China destruiu um enorme carregamento de ópio pertencente aos mercadores britânicos, levando o governo da Grã-Bretanha a reagir com violência. Navios de guerra e soldados foram enviados à China e a guerra começou oficialmente.

Os britânicos venceram o primeiro conflito em 1842 e forçaram a China a assinar um tratado de abertura dos portos, além de terem cobrado uma indenização do governo chinês por conta de todo o ópio que acabou sendo destruído.

Em 1856, autoridades chinesas revistaram um barco britânico, a fim de apreender ópio contrabandeado. Essa atitude reacendeu o conflito, e a guerra recomeçou. Este período ficou conhecido como a Segunda Guerra do Ópio.

Mais uma vez, os britânicos saíram vencedores do conflito contra a China. Derrotado, o governo chinês teve que legalizar a importação do ópio. Depois disso, o comércio da droga só voltou a ser proibido no país quando os comunistas tomaram o poder, em 1949.


Dados históricos e curiosidades:

  • Depois da segunda guerra do ópio, britânicos e franceses ocuparam Pequim;
  • A China foi obrigada a abrir dez portos para os mercados estrangeiros;
  • Depois da guerra, o país passou a aceitar diplomatas e missionários cristãos em seu território;
  • O ópio é extraído da papoula, e usado para fazer morfina e heroína;
  • A droga é consumida em cachimbos aquecidos.

Leia também! Assuntos relevantes