A crise migratória na Síria

A crise migratória na Síria

Por

Conforme informações da ONU, chega a 2.5 mil os imigrantes que se afogaram durante a travessia do mar Mediterrâneo em busca de refúgio na costa da Itália e da Grécia. Os afogamentos aconteceram devido ao desespero dos refugiados e da superlotação dos barcos que faziam a travessia.

Infelizmente o número de pessoas desesperadas que tentam chegar a Europa vindas da Síria e do norte da África é superior aos índices do ano passado, o que indica que a situação no país vem se complicando cada vez mais, forçando as pessoas a procurarem rotas cada vez mais perigosas, como por exemplo, através dos Bálcãs com esperança de alcançarem o norte da União Europeia ou até mesmo a Alemanha.

Quantas pessoas tem migrado para os países vizinhos?

Segundo a ONU mais de 300 mil imigrantes tem se arriscado na tentativa de atravessar o mar Mediterrâneo. No ano passado foi computado cerca de 219 mil pessoas e por volta de 200 mil desembarcaram na Grécia em Janeiro passado e cerca de 110 à Itália.

Os que alcançam a Grécia costumam utilizar uma rota ligeiramente curta, que compreende a Turquia e as ilhas de Kos, Chios, Lesvos e Samos, porém, mesmo sendo uma viagem mais curta, o perigo é o mesmo devido à precariedade dos barcos de madeira e botes utilizados para a travessia.

Já o outra rota, entre a Líbia e Itália é muito mais arriscada, prova disso foi o barco que afundou logo após deixar Zuwara em 27 de Agosto de 2015 com 500 imigrantes. Neste mesmo dia, cerca de 71 pessoas que acredita-se serem imigrantes foram encontrados mortos em um caminhão abandonado na Áustria. Mas, infelizmente, as mortes não param por aí, um naufrágio próximo de Lampedusa, Itália, ceifou a vida de 800 imigrantes em 19 de abril. Fora os 300 imigrantes que se afogaram ao enfrentar as águas agitadas do mar Mediterrâneo no mês de Fevereiro.

Os imigrantes sobreviventes relatam que não são apenas a falta de condições que causa tantas mortes, mas também a violência e os abusos realizados pelos traficantes de pessoas. Em nome da liberdade, muitos imigrantes pagam milhares de dólares para esses criminosos e acabam também sendo vitimas de assaltos. Devido aos problemas na Líbia os traficantes de pessoas tem se aproveitado das circunstâncias para explorar os imigrantes.

Existe uma agência que monitora as fronteiras externas da União Europeia e, segundo informações, foi constatado que cerca de 340 mil imigrantes foram detectados nas fronteiras, um número alarmante já que, no ano passado, no mesmo período foi registrado cerca de 123,5 mil pessoas.

Leia também! Assuntos relevantes