A Ascensão do Fascismo e do Nazismo


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


A Ascensão do Fascismo e do Nazismo

O período do entre-guerras (1919-1939) foi a época do descrédito e da crise da sociedade liberal. Essa sociedade, agora desacreditada, havia sido forjada no século XIX, com a afirmação do capitalismo como sistema econômico "perfeito". Na segunda metade deste século, o mundo absorvia os progressos da segunda fase da Revolução Industrial cujo auge se situa entre 1870 e 1914. O imperialismo e colonialismo europeu deu aos principais países desse continente a hegemonia do mundo e, por isso, uma ótica de encarar o futuro de forma entusiástica e otimista.

Após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), pólos de poder acabaram (Alemanha, Inglaterra, França, Rússia, etc.). Na América, os Estados Unidos, com sua econonomia intacta, se tornaram os "banqueiros do mundo". Na Ásia, após a Revolução Meiji (1868), o Japão se industrializara, se tornou imperialista e aproveitou o conflito mundial para estender seu poderio na região.

Na descrença dessa sociedade pós-guerra, os valores liberais (liberdade individual), política, religiosa, econômica, etc. começaram a ser colocados sob suspeita por causa da impotência dos governos para fazer frente às crise econômica capitalistas que empobrecia cada vez mais exatamente o setor social que mais defendia os valores liberais: a classe média.

Concomitantemente, as várias crises provocaram o recrudescimento dos conflitos sociais e, o mundo assiste imediatamente após a guerra, uma série de movimentos de esquerda e um fortalecimento dos sindicatos. O movimento operário já havia se cindido entre socialistas ou social-democratas (marxistas que haviam abandonado a tema de luta armada e aderiram `a prática político-partidária do liberalismo) e comunistas (formados por frações que se destacaram do movimento operário seguindo os métodos bolchevistas vitoriosos na Rússia (1917). Esse dois grupos eram antagônicos.

Toda a euforia e otimismo foi substituído por um pessimismo que beirava o descontrole após a guerra. Esse pessimismo era sentido entre os intelectuais de classe média, e se manifestou principalmente no antiplarlamentarismo, no irracionalismo, no nacionalismo agressivo e na proposta de soluções violentas e ditatoriais para solucionar os problemas oriundos da crise.

Os países mais afetados pela política social-democrata foram a Alemanha (derrotada), a Itália (mesmo vitoriosa, insatisfeita com os resultados da guerra) onde, a crise se manifestou de forma mais violenta. Nesses países o liberalismo não conseguira se enraizar. Ambos possuíam problemas nacionais latentes, por isso, a formação de grupos de extrema-direita, compostos por ex-militares, profissionais liberais, estudantes, desempregados, ex-combatentes, etc., elementos que pertenciam a uma classe média que se desqualificava socialmente e eram mais sensíveis aos temas antiliberais, nacionalistas, racistas, etc.

Na Itália, Mussolini e na Alemanha, Hitler formavam organizações paramilitares que utilizavam a violência para dissolver comícios e manifestações operárias e socialistas, com a conivência das autoridades, que viam no apoio discreto ao fascismo um meio de esmagar o "perigo vermelho", representado por organizações de extrema-esquerda, mesmo as moderadas como os socialistas.

De início, esses grupos que eram mais ou menos marginalizados se valiam de tentativas golpistas para a tomada do poder como foi o caso do "putsh" de Munique, dado pelo Partido Nazista na Alemanha.

À medida que a crise se profundava e o Estado não a debelava assim como se mostrava incapaz de sufocar as agitações operárias, essas organizações fascistas e nazistas viam aumentar seus quadros de filiação partidária. Os detentores do capita passaram a financiar essas organizações de direita, vendo na ascensão delas um meio de esmagar as reivindicações da esquerda e a possibilidade de se posta em prática uma política imperialista no sentido de abertura de novos mercados. Por essa atitude dos capitalistas entende-se porque tanto Mussolini quanto Hitler chegaram ao poder por vias legais.




Leia também! Assuntos relevantes.

O Fim Oficial da Guerra do Iraque
No dia 15 de dezembro de 2011 uma cerimônia que aconteceu em Bagdá marcou o fim oficial da guerra do Iraque. O conflito durou mais de oito anos, com a...

Guerra Cibernética
Pessoas antenadas ao mundo tecnológico afirmam que vivemos a iminente possibilidade de uma guerra cibernética. Mas o que será isso? A Guerra Cibern...

Guerra no Congo
O Congo, colónia belga, era um enorme território com numerosas tribos e grupos étnicos, que após aceder à independência, em 1960, se viu confrontado c...

Guerra do Golfo
Resumo da História da Guerra do Golfo A Gerra do Golfo, também conhecida como a guerra do petróleo, foi um conflito iniciado em agosto de 1990 entre ...

Guerra dos sete anos
A Guerra dos Sete anos aconteceu na Europa e envolveu várias monarquias nacionais. O conflito tinha como objetivo tomar o controle de regiões de explo...

Guerra Hispano Americana
Hispano-americana, Guerra, conflito bélico ocorrido entre a Espanha e os Estados Unidos em 1898, culminando com a libertação de Cuba, Porto Rico e Fil...

Guerras Púnicas
As Guerras Púnicas foram constituídas por três conflitos entre a República Romana e a República de Cartago. As guerras aconteceram entre os anos de 26...

Como funciona a declaração de guerra entre países?
Uma declaração de guerra é um ato formal feito por um chefe de estado ou soberano. O ano de 2013 começou agitado e com uma ameaça de guerra nuclear...

A Guerra dos Emboabas - 1708
Inúmeros portugueses ,da metrópole ou da própria colônia, tão logo souberam da descoberta do ouro, dirigiram-se para o local das jazidas com intenção ...

Gritos de Guerra
Os gritos de guerra estiveram sempre ligados à história de nações em conflitos e guerras. Com o tempo, essas frases cantadas ou faladas em uníssono po...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2015 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados